RUGENDAS. (Maurice) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



MELLO DE CASTRO. (Julio de) HISTORIA PANEGYRICA DA VIDA DE DINIS DE MELLO DE CASTRO,

PRIMEYRO CONDE DAS GALVEAS. Do Conselho de Estado e Guerra dos Serenissimos Reys D. Pedro I. e D. João V. ESCRITA POR… Seu Sobrinho. Offerecida a Elrey Nosso Senhor D. JOAM V. LISBOA, Na Officina de ANTONIO DUARTE PIMENTA. Anno M. DCC. XLIV. (1744)

De 19x14 cm. Com XL, 438 págs. Encadernação da época inteira de pele com rótulo vermelho e nervos na lombada.

Ilustrado com um anterrosto gravado representando o escudo de armas da casa real portuguesa enquadrado numa tarja e uma gravura de com o retrato de meio corpo de D. Dinis de Melo em uma oval sobre o seu escudo de armas. Rosto impressos a duas cores.

Exemplar com ex libris dos Agostinhos descalços do Mont-Olivet. e do Paço de S. Cipriano.

2ª edição, a primeira foi publicada em 1721 e foi publicada uma 3ª edição em 1752.

Descreve, em estilo panegírico, numa bela prosa característicamente barroca, a vida de Dinis de Melo e Castro, (1624 - 1709) herói da Guerra da Restauração. A obra é elogiada por Francisco José Freire e por D. Thomás Caetano de Bem. 

Começou a combater com dezasseis anos, logo em 1641, participando até ao fim da Guerra, em 1668, em mais de 100 combates e escaramuças em que foi ferido 22 vezes. Participou nas batalhas do Ameixial, 1663 e Montes Claros, 1665, já como General de Cavalaria, foi Governador das Armas do Alentejo, em 1662, defrontando D. João de Áustria, em 1667 e posteriormente voltou a exercer as mesmas funções durante a Guerra da Sucessão de Espanha, tendo conquistado as praças espanholas de Valência de Alcântara, e de Albuquerque. Em recompensa das suas acções heróicas D. Pedro II, nomeou-o Conselheiro de Estado e de Guerra e criou-o, em 10 de Novembro de 1691, Conde das Galveias. 

Júlio de Melo e Castro (Goa 1658 - Lisboa 1721) filho de Antonio de Mello e Castro, Vice Rei da Índia. Poeta e historiador, participou com grande brilho nas mais importants academias da época em 1720, foi um dos primeiros cincoenta académicos da Academia Real de Historia Portugueza, e o primeiro que faleceu logo no ano seguinte á fundação da Academia. A sua obra mais conhecida é a biografia do seu tio Dinis de Melo e Castro.   

Inocêncio V, 162.

 

Referência: 1109CS001
Local: M-4-D-26


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters