RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



CARDOSO DA COSTA, Vicente José. ENCADERNAÇÃO ARTÍSTICA – SÉC. XVIII - ELEMENTA JURIS EMPHYTEUTICI

COMODA METHODO JUVENTUTI ACADEMICAE ADORNATA A VICENTIO JOSEPHO FERREIRA CARDOZO DA COSTA In Conimbricensi Academia Juris Civilis Doctore. CONIMBRICAE: Ex Typographia Academico-Regia. Anno Dñi M. DCCLXXXIX. [1789].

In 8º (de 18x10 cm) com xvi, 71 pags.

Encadernação artística da época inteira de pele marroquin vermelho com finos ferros a ouro na lombada, e ferros rolados em esquadrias com super libris cruciformes folheados em ambas as pastas.

Inocêncio VII, 427: “ Vicente José Ferreira Cardoso da Costa, Doutor na Faculdade de Leis pela Universidade de Coimbra, Desembargador da Relação do Porto, Correspondente da Academia Real das Ciências de Lisboa, etc. Nasceu na cidade da Bahia de todos os Santos, no Brasil, em 1765. Terminados os estudos primários veio continuar os secundários em Lisboa, nas aulas da Congregação do Oratório, e no ano de 1779 partiu para Coimbra, tomando a final o grau de Doutor em 1785. Trocou depois a vida universitária pela da magistratura. Compreendido em 1810 na denominada Setembrisada é preso e deportado com outros para a ilha Terceira, por ordem da Regência do reino, como suspeito de afeição aos franceses, ou tido por jacobino, segundo a qualificação vulgar naquele tempo. Conseguiu apenas a permissão de transferir se da ilha Terceira para a de S. Miguel, onde possuía alguns bens. Aí casou em 1815. Veio a Lisboa duas vezes trazido por negócios políticos. Porém ficaram malogradas as suas aspirações, não conseguindo na direcção das cousas públicas a parte que sempre ambicionára. Desgostoso recolheu se a S. Miguel, e resignou se em fim a viver no seio da sua família, e a cuidar da administração e gerência de sua casa. «Foi um jurisconsulto notável entre os do nosso país. Tinha talento, aplicação assídua, e memória feliz. Possuía um conhecimento profundo da nossa antiga e moderna jurisprudência, e de todos os ramos da ciência que lhe são subsidiários. Tinha feito um estudo particular de todos os códigos da Europa, e fazia deles uma comparação pronta e prodigiosa. Achava se ao corrente da ciência pela leitura de todos os escritos célebres. Apreciava sobre tudo os trabalhos dos compiladores do Código Napoleão, e as obras de Jeremias Bentham, mas notando lhe as belezas, não lhes poupava as censuras, e n'esta parte de seus escritos conhece-se a mão de mestre pela profundidade e clareza de suas ideias, e pela lógica cerrada de suas conclusões»”.

Referência: 1311JC192
Local: FR-8-C-16


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters