RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



GRAVURA – SÉC. XIX – SCUOLA D’ATENE / ESCOLA DE ATENAS / SCHOOL OF ATHENS.

Filippo Severati disegnó. Angelo Biggi impresse. [Impresso por Angelo Biggi. Publicado por: Pietro dé Brognoli]. Data: circa 1870-1880.

Dimensões: 90x110 cm. Mancha gráfica: 72x90 cm.

Gravura em chapa de metal segundo o fresco de Rafael (Escola Italiana) na Stanze do Vaticano. Técnica e materiais: gravação em papel.

Legenda: « In segno de profondo omaggio il Cavalier Pietro dé Brognoli Romano D. D. D. a Sua Maestá Guglielmo 1º Imperatore d’Allemagna e Re di Prussia amatore e protettore delle Belle Arti ».

Emoldurado em madeira.

A imagem reproduz um detalhe do grande fresco pintado por Rafael numa parede da sala originalmente destinada a biblioteca, representando a alegoria da verdade racional. A cena consiste nas figuras de Platão (retrato à semelhança de Leonardo) e Aristóteles, cujas acções indicam os respectivos campos de investigação do pensamento clássico: o mundo ideal e o mundo real. A sua proximidade e o seu olhar aludem à possibilidade de uma reconciliação entre os dois sistemas filosóficos. Os filósofos e os estudiosos dispostos no espaço unificado de acordo com uma análise espacial representando a dialéctica e corrente de pensamento racional. A escolha da Escola de Atenas reforça e explica, com o poder evocativo da imagem, o significado do termo "sinergia", usado aqui para significar o lugar do confronto de ideias de trabalho para alcançar o mesmo fim. (texto baseado em Dra. Elena Villani, historiador de arte).

A Escola de Atenas, ou Scuola di Atene em italiano, é um dos mais famosos frescos do artista renascentista italiano Rafael. Foi pintado entre 1509 e 1510 como parte da comissão de Rafael para decorar as salas agora conhecidas como Stanze di Raffaello, no Palácio Apostólico do Vaticano. Os críticos têm sugerido que quase todos os grandes filósofos gregos podem ser encontrados na pintura, mas é difícil determinar quais são os retratados, já que Raphael não fez designações e não deixou documentos contemporâneos para explicar a pintura. As identidades de alguns dos filósofos na imagem, como Platão ou Aristóteles, são certas. Para além disso a identificação das figuras de Rafael foram sempre hipotéticas.

Uma lista mais abrangente de identificações propostas é dada seguidamente: 1: Zenão de Citium 2: Epicuro 3: desconhecida (acredita-se que seja Rafael) 4: Boécio ou Anaximandro ou Empédocles? 5: Averroes 6: Pitágoras 7: Alcibíades ou Alexandre, o Grande? 8: Antístenes ou Xenofonte ou Timão? 9: Raphael 10: Aeschines ou Xenofonte? 11: Parménides? 12: Sócrates 13: Heráclito 14: Platão 15: Aristóteles 16: Diógenes de Sinope 17: Plotino 18: Euclides ou Arquimedes com os alunos 19: Estrabão ou Zoroastro? 20: Ptolomeu? 21: Protógenes.

 The School of Athens, after the fresco by Raphael (Italian School) in the Vatican Stanze (intermediary draughtsman: Filippo Severati). c. 1870 Printed by Angelo Biggi. Published by: Pietro de" Brognoli, after Raphael. Date 1870-1880

Technique and material: engraved on paper. Dimensions: paper 90x110 cm; graphic print: 72x90 cm

Inscription content: « In segno de profondo omaggio il Cavalier Pietro dé Brognoli Romano D. D. D. a Sua Maestá Guglielmo 1º Imperatore d’Allemagna e Re di Prussia amatore e protettore delle Belle Arti ».

In wooden frame.

The image reproduces a detail of the large fresco painted by Raphael on a wall of the room, originally intended for the library, to represent the allegory of the rational Truth. The scene consisting on the figures of Plato (portrait in the likeness of Leonardo) and Aristotle whose actions indicate the respective fields of investigation, the pivot of classical thought: the ideal world and the earthly world. Their proximity and their eyes allude to the possibility of a reconciliation between the two philosophical systems. Philosophers and scholars, arranged in the grand unified space according to a rhythmic spatial scan that leaves you free gestures, representing the current dialectic of rational thought. The choice of the School of Athens reinforces and explains, with the evocative power of the image, the meaning of the term "synergy", used here to mean the place of confrontation of ideas working to achieve the same end. (text based in Dra. Elena Villani, Art Historian).

The School of Athens, or Scuola di Atene in Italian, is one of the most famous frescoes by the Italian Renaissance artist Raphael. It was painted between 1509 and 1510 as a part of Raphael"s commission to decorate with frescoes the rooms now known as the Stanze di Raffaello, in the Apostolic Palace in the Vatican. Commentators have suggested that nearly every great Greek philosopher can be found in the painting, but determining which are depicted is difficult, since Raphael made no designations outside possible likenesses, and no contemporary documents explain the painting. The identities of some of the philosophers in the picture, such as Plato or Aristotle, are certain. Beyond that, identifications of Raphael’s figures have always been hypothetical.

A more comprehensive list of proposed identifications is given below: 1: Zeno of Citium 2: Epicurus Possibly. 3: unknown (believed to be Raphael) 4: Boethius or Anaximander or Empedocles? 5: Averroes 6: Pythagoras 7: Alcibiades or Alexander the Great? 8: Antisthenes or Xenophon or Timon? 9: Raphael 10: Aeschines or Xenophon? 11: Parmenides? 12: Socrates 13: Heraclitus 14: Plato 15: Aristotle (Giuliano da Sangallo) 16: Diogenes of Sinope 17: Plotinus 18: Euclid or Archimedes with students 19: Strabo or Zoroaster? 20: Ptolemy? 21: Protogenes.

Referência: 1407JC045
Local: SDC Pilar 3


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters