RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



CHATEAUBRIAND. (François René Auguste, Visconde de) ATALA.

Tradução de Guilherme Braga. Com desenhos de Gustavo Doré gravados por João Pedroso. Empreza Editora de Obras Clássicas e Ilustradas. Porto. 1878.

De 26x18 cm. Com XLIX-104-VI págs.

Encadernação da época inteira de pele marroquim verde com nervos na lombada e ferros gravados a seco e a ouro nas pastas e cortes dourados por folhas.

Edição de grande beleza gráfica ilustrada com 7 litografias extratexto de Gustave Doré e J. Pedrozo, incluindo os retratos do autor e do tradutor. Impressão sobre papel muito encorpado, tendo o texto enquadrado por filetes decorativos, pequenas vinhetas e florões.

As gravuras têm os seguintes títulos: "A religião de Jesus entre os índios", "Fendíamos como dois cisnes as ondas solitárias", "Tinha ido contemplar a beleza do céu" (incluída na edição de luxo de Paris em 1870), "Às vezes dobravam-se-me os joelhos sob aquele triste fardo", "Escolheu um ácer de flores encarnadas".

Contém nas páginas preliminares uma nota biográfica do tradutor, da autoria de Pedro de Lima, uma introdução dirigida aos leitores e um prólogo. As páginas finais transcrevem extratos do prefácio que o autor escreveu para a primeira edição.

Exemplar com assinatura de posse de Roza Castello Branco.

Edição muito valiosa por ter sido publicada ainda em vida de Gustave Doré, célebre pintor, desenhador e ilustrador (Estrasburgo 06-01-1832 - Paris 23-01- 1883) especializado na ilustração de obras literárias (Divina Comédia, obras de Byron, Poe, Milton, Cervantes, Balzac) e de João Pedroso Gomes da Silva (Lisboa 1823-1890). Professor da Aula de Gravura da Escola de Belas Artes de Lisboa. A excelência do seu trabalho arrecadou-lhe medalhas de prata e bronze na Sociedade Promotora de Belas Artes, em 1865 e 1880, e a medalha de 2.ª classe, na Exposição Internacional do Porto. As suas primeiras gravuras datam de 1837, no Ramalhete. Colaborou n’O Panorama, no Archivo Pittoresco, Artes e Letras, Douro Ilustrado, O Ocidente e na ilustração de livros. Editou o magnífico álbum A Gravura de Madeira em Portugal, no qual conseguiu imitar todos os géneros de gravura em metal. Introduziu a cromo-gravura de sobreposição de chapas. Foi também pintor de assuntos marítimos.

A obra, com características pré-românticas é uma apologia do Cristianismo e a ação decorre na Louisiana sendo os personagens membros de uma tribo índia.

 

Referência: 1602PG023
Local: 9-2-I-11


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters