RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



MARCADÉ. (Jacques) FREI MANUEL DO CENÁCULO VILAS BOAS, ÉVÊQUE DE BEJA, ARCHEVÊQUE D’EVORA. (1770-1814)

Cultura Medieval e Moderna. XII. Fundação Calouste Gulbenkian. Centro Cultural Português. Paris. 1978.

De 25,5x19 cm. com xiv, 592, [ii] págs.

Encadernação do editor.

Ilustrado no texto e em extratexto sobre papel couché.

Contém prefácio de José V. de Pina Martins, Director do Centro Cultural Português, que é uma notável apresentação da obra.

Livro muito enriquecido com quadros estatísticos, no texto, relação de fontes comentada, bibliografia, notas biográficas das pessoas referidas no texto, glossário e índice analítico.

Trabalho de grande fôlego sobre a actividade pastoral de Frei Manuel do Cenáculo, como Bispo de duas dioceses do sul de Portugal, onde desenvolveu um notável trabalho de evangelização, de elevação do nível do clero, criação de bibliotecas e de estabelecimentos de ensino.

O autor, professor da Universidade de Poitiers, é um dos maiores especialistas da sociedade portuguesa do antigo regime no sul do país e contextualiza o seu estudo da actividade pastoral de Cenáculo, com pormenorizadas investigações sociológicas e históricas das populações das dioceses de Beja e Évora.

Frei Manuel do Cenáculo (Lisboa 1724-Évora 1814) foi uma das mais importantes figuras da Igreja em Portugal no Século XVIII, sendo mais conhecido pelas suas actividades como pensador, teólogo, escritor, colecionador e patrono das artes, ou pelos cargos que exerceu na corte como confessor e preceptor do Príncipe D. José ou deputado e depois Presidente da Real Mesa Censória.

Referência: 1703PG045
Local: 8-7-F-38


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters