RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



SOUSA, Fr. João de. VESTIGIOS DA LINGOA ARABICA EM PORTUGAL

ou Lexicon Etymologico das palavras, e nomes portuguezes, que tem origem arabica, composto por ordem da Academia Real das Sciencias de Lisboa, por Fr. João de Sousa, Socio da dita Academia, e Interprete de S. Magestade para a Lingua Arabica; e augmentado e annotado por Fr. Joze de Santo Antonio Moura, socio da predita Academia, Official da Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros, e Interprete Regio da referida Lingua. Lisboa na Typigraphia da mesma Academia. 1830.

In 4º (de 13x18,5 cm) com [4], XVI, 204 pags.

Encadernação da época com lombada em pele e pastas em papel decorativo.

Exemplar com ex-libris oleográfico sobre a folha de rosto: «Padre Manuel J. Telles».

Obra com entradas de palavra iniciadas em todas as letras do alfatebo, e não apenas as palavras portuguesesas com  o prefixo AL. Assim, além da palavra alfarrábio, de alfarrabista, temos também as palavras coifa e tarja. Junto de cada entrada em português encontra-se a palavra original em caligrafia árabe. Depois da explicação da alteração fonética  e do seu segnificado em português, seguem-se as derivações dos verbos e dos adverbios em caligrafia àrabe; o seu vários significado em português retirado dos melhores autores clássicos portugueses e europeus, latinos e gregos, com uma extensa explicação com as transcrições das referidas obras. O autor refere também a importancia cultural das palavras e a sua transmissão para a cultura moderna deixando em aberto o estudo vários significados. Os estudos modernos retiraram muito destes vocábulos da origem árabe, no entanto esta obra mantém a sua actualidade por ter sido pioneira na recolha e no estudo do nexo linguistico.

Inocêncio IV, 41: «FR. JOÃO DE SOUSA (2.º), Franciscano da Congregação da terceira Ordem, cujo habito vestiu aos quarenta anos de idade. Foi natural da cidade de Damasco, na Síria, mas filho de pais católicos romanos. O autor do seu Elogio histórico inserto nas Memorias da Academia, tomo IV, parte 1.ª, pag. XLIX e seguintes, o dá nascido pelos anos de 1730: porém o seu confrade Fr. Vicente Salgado, a quem devemos supor mais ciente nestas cousas, diz positivamente que ele nascera em 1734. Consta que viera para Lisboa em 1750, onde obtivera protecção e abrigo na casa do Morgado da Oliveira João de Saldanha de Oliveira e Sousa, depois conde de Rio Maior, cujo apelido ele adoptou em demonstração do seu agradecimento. Foi pelo Governo empregado duas vezes em missões diplomáticas aos Estados berberescos, a primeira como secretario e intérprete de uma embaixada a Marrocos nos anos de 1773 e 1774; a segunda em comissão a Argel, nos de 1786 a 1789. Foi também nomeado Oficial da Secretaria de Estado dos Negócios da Marinha em 1792, e Professor da cadeira de língua arábiga em Lisboa, em 1794, sucedendo neste cargo a Fr. António Baptista Abrantes: Socio livre da Academia R. das Ciências de Lisboa, etc. Morreu de uma afecção catarrosa no convento de N. S. de Jesus, em 1812. E 1323) Vestigios da lingua arabica em Portugal, ou Lexicon etymologico de palavras e nomes portuguezes, que tem origem arabica: composto por ordem da Academia Real das Sciencias de Lisboa. Lisboa, na Typ. da mesma Academia 1789. 4 ° . Segunda edição, augmentada e annotada por Fr. José de Sancto Antonio Moura, ibi, na mesma Typ. 1830. 4.º de IV-XVI-204 pag. Esta última é por tudo preferível á primeira. [...] Na Bibl. Eborense existem vários manuscritos deste autor, uns originais, outros copiados ou traduzidos, versando sobre assumptos de história e literatura arábigas, e também sobre negociações de Portugal com as potencias berberescas, embaixadas a Marrocos, etc. Pode vêr-se a enumeração deles no respectivo Catalogo de pag. 209 a 212, e 223 a 224. [...] Por engano se julgou omitida na Bibliogr. Hist. Port. a descrição do opusculo aqui mencionado; pois que efectivamente lá existe sob n.° 1008, a pag. 189. Para satisfazer ao reparo de um amigo, direi também que na descrição dos Vestigios da Lingua Arabica (n.º 1323) da edição de 1830, há vinte e seis vocábulos que foram acrescentados por D. Francisco de S. Luís, como se declara na Advertência preliminar da mesma edição a pag. XIV ».

Referência: 1711JC050
Local: M-14-D-24


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters