RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



S. LUÍS. (D. Fr. Francisco de) CARDEAL SARAIVA. OS PORTUGUEZES EM AFRICA, ASIA, AMERICA, E OCCEANIA.

Obra classica. Lisboa: Typ. de Borges. 1848. 7 volumes em 4.

De 20x14 cm. Com xxiv, 163, 224; 215, 208; 213, 220; 279 págs. Encadernação da época com lombada em pele. Ilustrado com gravuras em extra texto.exemplares bem conservados e pouco manuseados.

Inocêncio II, 423. “D. Fr. Francisco de S. Luis (3.º), natural da villa de Ponte de Lima, na provincia do Minho, e filho de Manuel José Saraiva e D. Leonor Maria Corrêa de Sá. Nasceu a 26 de Janeiro de 1766. A 27 de egual mez de 1782 professou a regra benedictina no mosteiro de Sancta Maria de Tibães, deixando então o nome de Francisco Justiniano Saraiva, de que usára no século. Passando a frequentar o curso theologico na Universidade de Coimbra, doutorou se n"esta faculdade no anno de 1791, e no de 1807 foi nomeado professor de philosophia do R. Collegio das Artes, sendo já desde 1794 Socio da Acad. R. das Sciencias de Lisboa.-achava-se n"este exercicio, quando a revolução de 24 de Agosto de 1820 o chamou a tomar parte nos successos politicos do paiz, sendo nomeado membro da junta, que com o titulo de provisional do governo supremo do reino se instaurou no Porto, no referido dia. Tirado assim do retiro do claustro para figurar na scena politica, o seu alto merecimento, coadjuvado pelas circumstancias da epocha, o elevaram successivamente aos cargos e dignidades mais superiores da egreja e do estado. Foi membro da regencia do reino eleita pelas côrtes em Janeiro de 1821; reformador reitor da Univ. Bispo de Coimbra e Conde de Arganil; deputado ás côrtes ordinarias de 1823, e depois presidente da camara dos deputados em 1826 e 1834; guarda mór do Archivo Nacional; ministro de estado; par do reino; Grão Cruz da Ordem de Christo; patriarcha de Lisboa; e conselheiro de estado.-alguns desgostos e dissabores se intercalaram por vezes n"esta honrosa serie de empregos e promoções; porém (como diz um seu biographo) «d"esses mesmos contratempos soube a cordura do sabio tirar proveitosa desforra. A eruditissima memoria ácerca do mosteiro da Batalha foi condebida nos dias de sua primeira reclusão n"aquella casa, logo depois das occorrencias politicas de Junho de 1823; e o exilio na Serra d"Ossa (1828 a 1834) foi o cadinho, em que elle fundiu e depurou vastissimo e precioso cabedal de nossa historia antiga, ouro que (em sua maior parte) ainda não viu a luz.»-m. na residencia patriarchal de Marvilla a 7 de Maio de 1845.”

Referência: 0907NM271
Local: I-106-C-30


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express

SERVIÇOS

Avaliações e Compra


Organização de Arquivos


Pesquisa Bibliográfica


A SUA ENCOMENDA

Ver

Encomendar


Valor: €0

Temáticas


Índice Geral / All Categories

Livros Raros / Rare Books

free counters