RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



BROTERO. (Félix de Avelar) FLORA LUSITANICA,

SEU PLANTARUM, QUAE IN LUSITANIA VEL SPONTE CRESCUNT, VEL FREQUENTIUS COLUNTUR, EX FLORUM PRAESERTIM SEXUBUS SYSTEMATICE DISTRIBUTARUM, SYNOPSIS. OLISSIPONE. EX TYPOGRAPHIA REGIA. M.DCCC.IV. [1804]

In 4.º 2 volumes de 20x14 cm. Com xviii-(ii)-607 e 557 pags.

Encadernações da época com lombadas e cantos em pele e ferros a ouro nas lombadas, cansadas.

Obra redigida em latim para entendimento do universo científico internacional, contendo a descrição da flora lusitana, com uma introdução ao habitat (sudoeste da Península Ibérica) e aos contributos anteriores dos estudos no terreno efectuados por Link e de Hoffmansegg (x páginas iniciais) seguido de uma bibliografia científica (viii páginas seguintes)  sendo que até ao final da obra - apresenta a classificação lineana por Classes, Ordens, Espécies e Variedades (morfologia, habitat e variações, tendo apenas algumas espécies o seu nome vernáculo em português).

Inocêncio II, 259. “Cavalleiro da Ordem de S. Bento d’ Avis Doutor em Medicina pela Universidade de Rheims, incorporado em 1791 na de Coimbra, onde lhe foi tambem conferido gratuitamente o capello na faculdade de Philosophia Lente da cadeira de Botânica e Agricultura, na qual obteve a jubilação depois de vinte annos d’exercicio Director do Museu Real e Jardim Botânico do Paço d’Ajuda deputado as Cortes constituintes de 1821 Membro da Sociedade de Horticultura de Londres, e da Linneana de Historia Natural da mesma cidade Sócio da Academia R. das Sciencias de Lisboa, da de Historia Natural e Philomatica de Paris da Physiographica de Lunden na Suécia da de Historia Natural de Rostok, e da Academia Cesarea de Bonn na Allemanha, etc. – N. na freguezia do Tojal, Termo de Lisboa, em 1744, e M: em 1828. A celebridade do nome d’este varão illustre, reconhecido universalmente como o primeiro botânico de Portugal, me dispensa de entrar aqui nos pormenores da sua biografia, que poucos deixaram de ter lido. Felicis Avellar Broteri, etc. Flora Lusitanica, seu plantarum, quœ in Lusitania vel sponte crescunt vel frequentius coluntur, ex florum proesertim sexubus systematice distributarum synopsis. Olissipone, ex Typ. Regia. 1804. 4.° 2 tomos, contendo 607 557 pag. Foi mandada fazer esta edição por ordem do Governo, sendo então ministros d'estado D. Rodrigo de Sousa Coutinho e D. João d'Almeida de Mello e Castro. E parece que para isto foi mister vencer grandes opposições, provocadas por parte de Domingos Vandelli e do P. Velloso, que impediram até onde poderem a publicação. Ao menos assim o affirmam claramente Antonio de Araujo e D. Rodrigo de Sousa Coutinho, em cartas dirigidas por ambos ao abbade Corrêa, cujos originaes me foram ha pouco mostrados.”

 Dim.: 2 volumes in 4º; 20x14 cm with xviii-(ii)-607 and 557 pp.

Binding: contemporary half calf, finely tooled at spine with gilt fleurons, boards covered with decorative paper, slightly worn.

Work written in Latin for the international scientific community to understand it. Contains a description of the Portuguese flora with an introduction to the habitat (southwest of the Iberian Peninsula) and  references to the contributions of previous field studies carried out by Link and Hoffmansegg (first 10 pages), followed by a scientific bibliography (viii following pages) and – till end of the work - presents the Linnaean classification into Classes, Orders, Species and Varieties (morphology, and habitat changes, with only a few species named in vernacular Portuguese).

Inocêncio II, 259. 'Avelar Brotero was Knight of the Order of St. Bento d'Avis, Medical Doctor from the University of Rheims, and from the University of Coimbra in 1791, where he had a chair of Botany and Agriculture. He retired after 20 years working as Director of the Royal Museum and Botanical Gardens of the Palace of Ajuda. Member of the Horticultural Society of London and the Linnean Natural History in the same city. Member of the Royal Academy of Sciences of Lisbon, the Natural History and Philomatica of Paris, of the Physiographica of Lunden in Sweden, the Natural History of Rostock, and the Academia Caesarea in Bonn, etc. He was born in Tojal parish, near Lisbon, in 1744, and died in 1828. He was recognized as the first scientific botanist in Portugal. Felicis Brotero Avellar, etc.. Flora Lusitanica. Olissipone, Ex Regia Typ. 1804. 4. 2 volumes, containing 607+557 pag. Published by order of the Government, and the then state ministers D. Rodrigo de Sousa Coutinho and D. João d'Almeida de Mello e Castro. The work had great scientific criticism as Domingos Vandelli and P. Velloso tried to impeach the publication until the last moment. '

Referência: 1010CS005
Local: M-9-B-31


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express

SERVIÇOS

Avaliações e Compra


Organização de Arquivos


Pesquisa Bibliográfica


A SUA ENCOMENDA

Ver

Encomendar


Valor: €0

Temáticas


Índice Geral / All Categories

Livros Raros / Rare Books

free counters