RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



MADEIRA - SEC. XX. ARQUIVO PESSOAL [ MANUSCRITOS ]

DE JOÃO MARIA DE SANTIAGO PREZADO. 1912-1913. Acervo constituído por cerca de 80 documentos dos quais destacamos, nomeadamente:

Proclamação do apoio das popular à vinda do Governador Civil para a Madeira e contra o monopólio das farinhas. O Questionário público em 60 perguntas dirigido a todas as Câmaras Municipais, datado de 11 de Dezembro de 1912, inquirindo sobre a sua situação administrativa, económica, financeira, social e sanitária. As Respostas manuscritas ao referido Questionário, agrupadas em dossiers vindos dos municípios de: Porto Moniz, Calheta; Câmara de Lobos; Funchal; S. Vicente; Santa Cruz, Santana, Ponta do Sol, Machico, e Porto Santo [Ribeira Brava em falta]. Junto com: Estudo estatístico sobre as causas da mortalidade na Madeira em 1909-1910, particularmente a mortalidade infantil; Apontamentos sobre receitas e despesas da Câmara Municipal da Ponta do Sol em 1909; Carta-resposta à questão de quais as espécies botânicas apropriadas para o reflorestamento da Madeira. Outros questionários, memorandos e discursos (em rascunhos e impressos) dirigidos às câmaras municipais ou administrações dos concelhos, separados em pastas e com os títulos: Problema sacarino; Asilo dos Velhinhos do Funchal; Viação, hotéis e turismo; Problema da viação na Madeira (imposto do tabaco como receita às câmaras para poderem construir a viação municipal em ligação com as distritais) com mapa orçamental dos lanços projectados e em execução; A Madeira Restaurada (projecto geral de uma obra não publicada [!?] de Santiago Prezado); Mapa nominal e relação dos réus menores, julgados e condenados no período de 1909 a 1912, dos seus crimes e das suas penas; Hospital e auxílio maternal; Porto Moniz (entrevistas); Proíbição de fogos de artificio detonantes; Caso da relação pessoal/política com o Capitão do Porto; Tributação dos vinhos e aguardentes na alfandega da Madeira (problema das fábricas não registadas, e problema do transportes e depreciação da cana e das ramas); muitas cartas particulares, alguns documentos e ofícios, racunhos, minutas e discursos públicos no Palácio do Governo e noutros locais. Salientamos os oficios e as cartas redigidos nos primeiros meses da República  - sobre o papel timbrado com selo-em-branco da Monarquia - e encabeçados pelo novo timbre manuscrito 'Serviço da República'.

João Maria de Santiago Prezado (1883-1971), diplomata, político e escritor, natural da Figueira da Foz; Terceiro Secretário da Legação de Portugal em Madrid em 26 de Maio de 1911; Governador Civil do Distrito do Funchal em 29 de Fevereiro de 1912 (o 2º Governador na Primeira República), Segundo Secretário da Legação de Portugal em Madrid em 28 de Dezembro do mesmo ano de 1912; Ministro plenipotenciário e Chefe da 1ª Repartição dos Negócios Políticos e Diplomáticos em 5 de Agosto de 1925 (vide Anuário Diplomático Consular Português, 1939 a 1944). Posteriormente participou activamente na luta contra a Ditadura e integrou a Frente Popular, a aliança anti-clerical e anti-fascista; e o Movimento de Unidade Democrática; apoiou as candidaturas de Norton de Matos e de Quintão Meireles à Presidência da República e foi um dos subscritores do Programa para a Democratização da República, em 1961.

 

Referência: 1212JC100

INEXISTENTE


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters