RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



PEREIRA DE CASTRO, Gabriel. ULYSSEA OU LISBOA EDIFICADA.

POEMA HEROICO, COMPOSTO PELO INSIGNE DOUTOR GABRIEL PEREIRA DE CASTRO, Corregedor que foy do Crime da Corte, e nomeado por sua Magestade para Chanceller mór do Reyno de Portugal. OFFERECIDO A ELREY D. JOAM V. NOSSO SENHOR. LISBOA. Na Officina de MIGUEL RODRIGUES, Impressor do Senh. Card. Patriarc. M. DCC. XLV. [1745]. Com as licenças necessarias. 

In 8º de 14,5x10,5 cm. com [xlii], 413, [i] págs.

Encadernação do Século XIX inteira de pele com ferros a ouro e rótulo vermelho na lombada.

Exemplar com anotação em letra coeva no interior da encadernação: «custou 600» e com carimbo oleográfico de posse da Casa de Azevedo, na última página preliminar.  

3ª Edição de um dos poemas épicos mais belos escritos no Século XVII, em estilo barroco, editado pela primeira vez em 1636 e pela segunda vez em 1643, foi posteriormente reeditado em 1826, 1827 e já no Século XX em.   

Inocêncio III, 107: “ Gabriel Pereira de Castro, Cavaleiro da Ordem de Cristo, Doutor em Direito Canónico, e Lente na Universidade de Coimbra, Desembargador da Relação do Porto, e da Casa da Supplicação de Lisboa, Corregedor do crime da Côrte e Casa, Procurador-geral das Ordens Militares, e ultimamente nomeado Chanceller-Mór do Reino, etc. Nasceu em Braga em 1571, e morreu em Lisboa em 1632. Jaz no extinto mosteiro de S. Vicente de Fora. Ulysséa, ou Lisboa edificada: poema heroico. Lisboa, por Lourenço Craesbeeck 1636. Saíu depois da morte do autor. Consta de dez cantos em oitava rima. O poema é precedido de varias poesias escritas por diversos em honra do autor, e de um Discurso poetico por Manuel de Galhegos, em prosa, mui farto de erudição. Os argumentos em verso postos nos começos dos cantos são de D. Bernarda Ferreira de Lacerda. Passados annos, isto é, pelos de 1642 ou 1643, Luis Pereira de Castro, irmão do poeta, fez segunda edição do poema, com uma dedicatória sua ao principe D. Theodosio. Nela se omitiu, tanto o discurso ou prólogo de Manuel de Galhegos, como uma canção deste em louvor de Gabriel Pereira, que andava tambem na edição anterior. Fizeram-se nela mui consideraveis alterações no texto, já omitindo até estâncias inteiras, já acrescentando, ou substituindo outras, tudo com o fim de aplicar ao principe D. Theodósio a dedicatória e mais passagens em que o autor se referia a Filippe IV de Hespanha, reinante aquelle tempo em Portugal.

A terceira edição do poema é de Lisboa, por Miguel Rodrigues 1745. 8.º – Nela se restituiram todos os logares alterados, ficando em tudo conforme a primeira edição”.

Referência: 1307JC005
Local: M-7-B-17


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters