RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



CAVAZZI, Giovanni Antonio. ISTORICA DESCRITTIONE DE’ TRE REGNI CONGO, MATAMBA, ET ANGOLA

SITVATI NELL’ ETIOPIA INFERIORE OCCIDENTALE E DELLE MISSIONI APOSTOLICHE Esercitateui da Religiosi Capuccini, ACCVRATAMENTE COMPILATA DAL P. GIO. ANTONIO CAVAZZI DA MONTECVCCOLLO SACERDOTE CAPVCCINO, IL QVALE VI FV PREFETTO E nel presente stile ridotta DAL P. FORTVNATO ALMANDINI DA BOLOGNA Predicatore dell’ istesso Ordine. ALL’ ILLmo. SIGNORE IL SIGNOR D. CESARE VISCONTI Dottor Collegiato di Milano, Regio Feudatario di Crena, Cedrate, & Albusciago, E REGIO DVCAL SENATORE NELLO STATO DI MILANO. IN MILANO, MDCXC. [1690]. NELLE STAMPE DELL’ AGNELLI.

In 8º gr. (de 22x16 cm) com 1 frontis. + [xiv] + 1 mapa desdobrável (21,5 x 27 cm) + 42 gravuras extratexto + 784 págs.

Encadernação da época em pergaminho flexível com fechos originais e título caligráfico na lombada “Storia de 3 Regni nell’ Etiopia”.  

Exemplar com leves vestígios de traça e coifas danificadas na  encadernação. Antigas manchas de humidade nos primeiros e últimos fólios, desvanecidas pelo tempo. Restauros marginais com maior incidência nas páginas 28 e 29. Frontispício solto e folha de rosto a necessitar de restauro.

Obra ilustrada com 1 frontispicio alegórico de Nossa Sra. da Conceição, 1 mapa da África Ocidental no século XVII com referência aos reinos do Congo, Matamba e Angola 42 gravuras em extratexto com descrições botânicas (árvores, frutos, culturas indígenas), descrições zoológicas reais e conjecturais (baleias-peixes, sereias, etc.) e usos e costumes das populações africanas.

Obra fundamental sobre a presença portuguesa e missões dos religiosos capuchinhos na África Ocidental, com referências interessantes para a história do Brasil, onde os mesmos faziam escala para África. Publicada originalmente em italiano no ano de 1687 pelo Padre Cavazzi que viveu 37 anos no Congo.

O mapa desdobrável da África Ocidental, colocado entre as páginas iniciais e a página nº 1 do texto, apresenta a costa ocidental de África desde o Equador até aos 16 graus de latitude Sul e o interior de África até aos 49 graus de longitude Este, mostrando o Planalto Central e os rios que correm para o Zambeze a 22 graus de longitude Este (o autor coloca na actual Zâmbia a hipotética localização dos Grandes Lagos e do Monomotapa). O oceano Atlântico é mencionado como o oceano Meridional ou “verdadeiramente Etiópico”. São Paulo de Luanda encontra-se referida como uma grande cidade.

A Pesce Donna, também referida no texto, é descrita como sendo a sereia ou Naíade das descrições da antiguidade clássica. A sua morfologia é detalhadamente descrita na página 42 ao lado da gravura. Esta descrição inclui ainda a sua observação real e refere a preparação e ingestão da sua carne.

A obra ilustra e descreve a punição dos crimes e os ritos funerários (p. 103), a relação dos negros com os europeus (p. 128), os rituais dos sacrifícios humanos em massa (p. 167), o comércio de marfim (p.172), a imagem da recepção dos frades pelo rei do Congo (pag.269), imagem do baptismo do rei de Angola, a corte do rainha Anna Zingha (também conhecida por Nzinga ou Njinga) em Luanda (pag. 577), etc.

Giovanni Antonio Cavazzi da Montecuccolo (1621-1678) foi um missionário capuchinho italiano, conhecido pelas suas viagens em Angola no século XVII. Cavazzi foi um estudante comum e quase lhe foi negada uma posição de missionário, mas acabou por singrar graças à sua piedade. Foi enviado para as possessões portuguesas, tendo chegado a Luanda em 1654. Viajou com os portugueses na qualidade de capelão e, entre as suas diversas viagens, conta-se uma estadia na corte do rei de Pungo Andongo, uma viagem em 1659 na região do planalto central, uma visita em 1660 à corte da rainha Nzinga no Matamba e uma visita ao Reino do Congo. Voltou para a corte de Nzinga em 1662, tendo presidido ao seu funeral em 1663. Deixou o Matamba em 1665, voltando para Itália em 1667. Em 1673 retornou a Angola como chefe da missão capuchinha. Regressa a Itália em 1677, onde escreveu um segundo relato biográfico da missão capuchinha, que apenas será publicado no século XX. Trabalhou nos arquivos em Itália para completar a sua história, mas a Congregação para a Propagação da Fé, que havia encomendado o trabalho, teve relutância em publicá-lo.

Cavazzi ficou famoso pela sua história descritiva com o título Istorica Descrizione de Tre regni Congo, Matamba ed Angola. Em 1969 Giuseppe Pistoni descobriu os manuscritos originais da obra de Cavazzi escritos em África em 1668, entre os papéis da Família Araldi de Modena. Esta colecção de três volumosos manuscritos continha ilustrações com aguarelas de cenas vividas na África Central e, particularmente, na corte da rainha Nzinga. As ilustrações foram posteriormente publicadas por Ezio Bassan, tendo John K. Thornton editado e traduzido o primeiro volume. Além da sua extensa história, Cavazzi tem a sua própria autobiografia de missionário, encontrada tanto nos manuscritos de Araldi, como na Istorica Descrizione e ainda no texto “Vite dei Frati Minori Cappuccini del Ordine del Serafica Padre San Francisco, morti nelle Missioni d’ Etiopia dall anno 1645 all anno sino 1677.”

 CAVAZZI, Giovanni Antonio. HISTORICAL DESCRIPTION OF THE THREE KINGDOMS: CONGO, MATAMBA, AND ANGOLA,  Milan 1690. Agnelli.

In 8º gr. (de 22x16 cm) [xiv], 784 págs. Illustrated with 1 frontispice. + [xiv] + 1 folding map (21,5 x 27 cm) and 42 engraved plates.

First published in 1687, this is a fundamental work on the Portuguese presence and the missions of Capuchin Friars in Western Africa, with interesting references to the Brazilian history where their ships called on their way to Africa. It was originally published in Italian in 1687 by P. Cavazzi, who lived for 37 years in Congo.

The folding map, enclosed between the opening pages and page 1 of the text, shows the West coast of Africa from the Equator to 16 degrees South latitude and the interior of Africa up to 49 degrees East latitude, showing the central plateau and the rivers that flow into the Zambezi at the current longitude of 22 degrees East (the author hypothetically locates the Great Lakes and the Monomotapa in the area that is presently Zambia). The Atlantic Ocean is mentioned as Southern Ocean or “truly Ethiopic”. The contemporary handwritten abbreviated title on the spine of this copy reads: “Storia de 3. Regni nell’ Ethiopia”. The city of S. Paulo de Luanda is marked as being a big city.

The “Donna Pesce” is described in the text as a mermaid or a Naiad as per descriptions of classical antiquity. Its detailed morphology is described on page 42 next to the plate. The description includes its real observation, as well as the preparation and ingestion of its meat.

The work, through its many illustrations, describes the punishment of crimes and funeral rites (p. 103); the relationship of the black with Europeans (p. 128); the rituals of human mass sacrifices (p. 167); the ivory trade (p. 172); the image of the reception of the friars by the king of Congo (p. 269); the image of the baptism of the King of Angola; the court of Queen Anna Zingha (also known as Nzinga or Njinga) in Luanda (p. 577), etc..

Giovanni Antonio Cavazzi da Montecuccolo (1621–1678) was an Italian Capuchin missionary known for his travels in the 17th century Portuguese Angola and his lengthy account of local history and culture as well as a history of the Capuchin mission there. Cavazzi was a regular student and was almost denied a position in the central African mission, but prevailed thanks to his godliness. He was sent to the Portuguese possessions, arriving at Luanda in 1654. He travelled widely as a chaplain with the Portuguese, those travels include a stay at the court of the king of Pungo Andongo; a trip in 1659 into the central highlands region; a visit in 1660 to the court of Queen Nzinga (or Njinga) in Matamba; and a trip to the Kingdom of Congo. He returned to Nzinga’s court in 1662 and remained there after the queen’s death in 1663. He presided to her funeral and left Matamba in 1665, returning to Italy in 1667. In 1673 he got back to Angola as prefect of the Capuchin mission, and back to Italy in 1677, where he wrote a second biographical account of the Capuchin mission, not published until the 20th Century. He worked in the archives in Italy to round out his history, but The Holy Congregation for the Propagation of the Faith, which had commissioned the work, was reluctant to publish it.

Cavazzi is famous for this descriptive history “Istorica Descrizione de tre regni Congo, Matamba ed Angola”. There are many translations namely a German one in 1694 and a French one in 1732. There is a modern critical edition and Portuguese translation of the book, edited in 1965 in Lisbon by Graziano Saccardo. In 1969, Giuseppe Pistoni discovered the original manuscripts of Cavazzi"s work, written in Africa in 1668, amongst the papers of the Araldi Family of Modena. This collection, three bulky manuscripts, was illustrated with vivid watercolours depicting life in Central Africa, and particularly at the court of Queen Nzinga. The illustrations were subsequently published by Ezio Bassani, being the first volume edited and translated by John K. Thornton. In addition to his extensive history, Cavazzi autobiography can be found in both the Araldi manuscripts, the Istorica Descrizione and also in the text of “Vite dei Frati Minori Cappuccini del Ordine del Serafica Padre San Francisco, morti nelle Missioni d"Etiopia dall"anno 1645 sino all"anno 1677.”

Ref.: Brunet I, 1699; Brunet III, 707;  Duarte de Sousa, 325; Borba de Morais, 171.

Referência: 1405JC004
Local: M-9-A-7


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters