RUGENDAS. (Maurice) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



PEREIRA DE SOUSA. (Francisco Luiz) O TERRAMOTO DO 1.º DE NOVEMBRO DE 1755 EM PORTUGAL

E um estudo demográfico por […] ,Tenente Coronel graduado de Engenharia, Primeiro Assistente da Universidade de Lisboa, etc. Volume I – Distritos de Faro, Beja e Évora. [Volume II – Distritos de Santarém e Portalgre. Volume III – Distrito de Lisboa. Volume IV – Distritos de Leiria, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Aveiro e Vizeu] Serviços Geológicos. Lisboa. 1919, 1928 e 1932.

Obra em 4 volumes de 34x25 cm. Com 1014-xvii págs (numeração seguida). Brochados.

Ilustrados em extra-texto sobre fólios desdobráveis, reproduzindo gráficos e mapas representando a intensidade sísmica do terramoto para as zonas em estudo, dados estatísticos a respeito da população maior de 7 anos de 1758 a 1911 das várias zonas em estudo, Carta Geológica de Lisboa, Plantas de Lisboa representando a zona central da cidade e as Igrejas existentes antes do Terramoto.

Reprodução aumentada e revista da obra publicada em 1915, na Revista de Obras Públicas e Minas, com o título O Megasismo do 1.º de novembro de 1755 em Portugal, acompanhado dum estudo demográfico e sôbre rochas de construção, sem a parte relativa aos materiais de construção.

Valiosa colectânea em que se reúne um extenso número de documentos para o estudo crítico dos efeitos do terramoto de 1755 em todos os distritos do país, trazendo à luz numerosos documentos inéditos e tomando por base vários extractos das Memórias Paroquiais da Torre do Tombo.

Acham-se também indicadas na obra, juntamente com o estudo do terramoto, algumas conclusões que se deduzem da comparação da população em 1758 e a actual, avaliando a importância das diferentes povoações e determinando o seu grau de intensidade sísmica no terramoto de 1755, considerando, por exemplo, os estragos por este causados em Igrejas.

Organiza-se em quatro volumes. No primeiro tomo são tratados os distritos de Faro, Beja e Évora. Abre com a descrição geral do megassismo no Algarve segundo vários documentos e publicações, a que se segue o arrolamento dos seus efeitos nefastos nos concelhos de Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Silves, Tavira, Vila do Bispo, Vila Nova de Portimão, Vila Real de Santo António, Aljustrel, Almodôvar, Alvito, Barrancos, Beja, Castro Verde, Cuba, Ferreira do Alentejo, Mértola, Moura, Odemira, Ourique, Serpa, Vidigueira, Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Móra, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Viana do Alentejo e Vila Viçosa. Estuda ainda os efeitos geológicos deste fenómeno em Olivença. Contém estudos sobre a população do Algarve entre os séculos XVIII e XX, sobre o maremoto e os efeitos geológicos do fenómeno em epígrafe.

No segundo tomo, que segue a mesma linha metodológica do volume anterior, são tratados os distritos de Santarém e Portalegre, incidindo sobre os efeitos do sismo nos concelhos de Abrantes, Almeirim, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Constância, Coruche, Ferreira do Zêzere, Golegã, Mação, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Sardoal, Tomar, Torres Novas, Vila Nova de Barquinha, Vila Nova de Ourém, Alter do Chão, Arronches, Aviz, Campo Maior, Castelo de Vide, Crato, Elvas, Fronteira, Gavião, Marvão, Monforte, Niza, Ponte de Sôr, Portalegre e Souzel. Apresenta apenas várias considerações geodemográficas, cotejando-as com as conclusões do tomo anterior.

O terceiro tomo tece considerações de ordem vária sobre o terramoto no distrito de Lisboa, mormente nos concelhos de Alcácer do Sal, Alcochete, Aldeia Galega do Ribatejo, Alenquer, Almada, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Barreiro, Cadaval, Cascais, Sesimbra, Sintra e Grândola. Em adição aos estudos sobre o maremoto, os efeitos geológicos e principais sismos na região antes e depois do de 1755, analisam-se ainda neste tomo as freguesias queimadas, as freguesias arruinadas e as que menos sofreram com o terramoto.

Por último, o quarto tomo, trata dos distritos de Leiria e Castelo Branco. A morte prematura do autor impediu a conclusão da tarefa exaustiva que iniciara, ficando por concluir o trabalho referente a todos os concelhos de Castelo Branco e por tratar os distritos de Coimbra, Guarda, Aveiro e Vizeu. Apresenta um rol de documentos alusivos aos concelhos de Alcobaça, Alvaiázere, Ancião, Batalha, Belmonte, Castelo Branco, Sertã, Covilhã, Fundão e Idanha-a-Nova.

Referência: 1405JC020
Local: M-12-A-10


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters