RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



FREIRE, Francisco José. MEMORIAS DAS PRINCIPAES PROVIDENCIAS QUE SE DERAÕ NO TERREMOTO, que padeceo a Corte de Lisboa no anno de 1755

ORDENADAS, E OFFERECIDAS A’ MAGESTADE FIDELÍSSIMA DE ELREY D. JOSEPH I. NOSSO SENHOR. POR AMADOR PATRÍCIO DE LISBOA. M. DCC. LVIII. [1758]. S/L. [Lisboa]   [Francisco Luís Ameno]

In fólio de 34x24,5 cm. Com [xxx], 355 págs.

Encadernação da época inteira de pele com nervos e ferros a ouro.

Vestígios de manuseamento e vestígios de manchas de humidade marginais. Trabalho de traça no pé das páginas 290 a 330. Obra publicada sob pseudónimo, impressa sobre magnífico papel de linho em que se utilizaram belos caracteres redondos, vinhetas e florões decorativos.

A proximidade da data do terramoto, o facto de não apresentar local de edição nem impressão e ainda o grande tamanho do prelo utilizado, levam-nos a pensar que terá sido impresso em França, tendo-se utilizado caracteres da Academia Real da História. Este conjunto de documentos e de leis circularam, inicialmente, de forma manuscrita, devido à ausência de prelos para impressão, e incluem Avisos, Cartas, Cartas Circulares, Respostas, Portarias, Decretos, Editais, Ordens militares, Petições, Alvarás, Prestações de Contas, Assentos, Instruções, etc.

O primeiro documento está datado do dia do Terramoto, 1 de Novembro de 1755, e o último de 16 de Junho de 1758. O conjunto encontra-se organizado em 2 índices: - Um índice cronológico desde o aviso que ordena fazer tirar das ruinas o corpo do Embaixador de Espanha até à Carta ao Duque Regedor remetendo-lhe o Decreto e o Plano para a reconstrução de Lisboa. - Outro índice que antecede a obra organiza todos os documentos pelas 14 Providências que se tomaram sendo as mesmas ordenadas pelo grau de urgência, logo coincidindo apenas lato senso com os documentos emanados, pelo que podemos observar a planificação da reconstrução de Lisboa que, sendo a última das prioridades, começa a ser tomada 28 dias após o Terramoto. As 14 Providencias são, por ordem de prioridade: Evitar o receio da peste; Evitar a fome; Curar os feridos; Reconduzirem-se os moradores; Evitar os roubos; Evitar que pelo mar se desse saída aos roubos; Remediar as necessidades do Algarve, de Setúbal, e dos portos da América e Índia; Mandar vir tropas para reconstruir a cidade; Alojar interinamente o povo; Restabelecer os Ofícios Divinos; Recolher as Religiosas que vagavam dispersas; Ocorrer às necessidades em que estava o povo e que se reduzem a uma classe separada; Actos do Rei para aplacar a ira divina; Darem-se os meios mais conducentes para a reedificação da cidade.

FREIRE, Francisco José. MEMORIES OF THE MAIN INSTRUCTIONS GIVEN AFTER THE EARTHQUAKE, suffered by the Lisbon Royal Court in the year 1755, ORDERED AND OFFERED TO HIS ROYAL MAGESTY KING D. JOSEPH I. OUR LORD. BY AMADOR PATRÍCIO DE LISBOA. M. DCC. LVIII. [1758]. No place [Lisbon or Paris?] No printer [Francisco Luís Ameno?] In fólio de 32 x 23 cm. With [xxx], 355 pps. Binding: contemporary full calf, with gilt compartments and tools. Presenting an ex-libris of A. de M. Guimarães Ferreira. Old recovered tare on the frontispiece. Traces of handling and slight dump stains. Wormholes on pages 290 to 330. Ownership title [1758] and text with the template of a Christening dated 1810, both handwritten in the back of the colophon. Work published under pseudonym, printed on magnificent linen paper, using round fonts, vignette and decorative fleurons. The proximity of the date of the earthquake, the absence of the place of publication or printing, and even the large size of the press used, lead us to think that it has been printed in France, using the types from the Press of the Royal Academy of History. This set of documents and laws, initially circulating in manuscript form due to lack of printing presses, contains: Notices, Letters, Answers, Ordinances, Decrees, Edicts, Military Orders, Petitions, Permits, Benefits of Auditors, and Instructions, among others. The first document is dated November 1st, 1755, the day of the earthquake, and the last document June 16th, 1758. This set of documents is organized according to two indexes: - A chronological index, that starts with the Notice to remove from the ruins the corpse of the Spanish Ambassador and ends with the letter to the Chieftain Duque sending the Decree and Plan for the rebuilding of Lisbon. - An index that precedes the work and organizes all documents by 14 Measures and Policies, which were, in order of priority: prevent the fear of the plague; prevent hunger; heal the wounded; rehousing the residents; prevent thefts; prevent that the robbed goods were sent by sea; provide for the needs of the Algarve, Setubal, and the harbours of America and India; send for troops to rebuild the city; build temporary camping sites for the people; resuming the mass; gathering the scattered wandering nuns; attend to the people’s needs, thus mentioned as a separated class; acts of the King to appease God’s wrath; provide the means to rebuild the city of Lisbon.

Inocêncio I, 53. “AMADOR PATRICIO DE LISBOA. Sob este pseudonymo se publicou: Memorias das principaes providencias que se deram no terremoto que padeceu a Corte de Lisboa no anno de 1755. Ordenadas e offerecidas á Magestade Fidelissima d’Elrei D. Joseph I. Sem logar, nem nome do impressor 1758. fol. de XXX-355 pag. - A similhança dos typos e vinhetas d’este livro com os da Vida do Infante D. Henrique que no mesmo anno se imprimiu em Lisboa na Off. de Francisco Luiz Ameno, me levam a crer que d’esta Officina sahiram tambem as Memorias. Não faltou quem em tempo attribuisse ao primeiro Marquez de Pombal a composição e coordenação d’esta obra mas tem prevalecido, e com melhor fundamento, a opinião que a atribue ao P. Francisco José Freire (Candido Lusitano.) V. a Bibl. Hist. de Portugal e seus Dominios, pag. 326 da segunda edição. É estimado este livro, e de valor historico pelas muitas particularidades que encerra, sendo o que de mais amplo se publicou relativo áquelle infausto e lamentavel acontecimento e ás suas consequencias: a parte narrativa é feita em phrase limpa e estylo corrente, e os numerosos documentos que a acompanham e lhe servem de confirmação realçam o merito da obra, dando-lhe um caracter authentico e official. Seu preço no mercado regula de 600 a 960 réis, e ás vezes 1:200. (V. Francisco José Freire.)

P. FRANCISCO JOSÉ FREIRE, mais conhecido pelo nome poetico de Candido Lusitano, que adoptou na Arcadia, da qual foi um dos primeiros e mais conspicuos membros. Foi natural de Lisboa, e n. a 3 de Janeiro (outros dizem de Septembro) de 1719, sendo filho de Joaquim Freire Bellas e de Joanna Maria Joaquina Corsini. Depois de concluir os estudos de humanidades, que cursou parte nas aulas do collegio de Sancto Antão, da Companhia de Jesus, e parte na casa de S. Caetano, dos clerigos Theatinos, esteve durante alguns annos como familiar, ou gentil-homem em casa do cardeal patriarcha de Lisboa, D. Thomás dAlmeida. Movido de superior impulso, ou por ventura de algumas causas hoje ignoradas, resolveu-se a deixar o serviço daquelle prelado, e foi vestir a roupeta dos Congregados de S. Filippe Nery na casa do Espirito Sancto de Lisboa. Elle mesmo diz em uma sua obra inedita, que entrára na Congregação em 1751, o que accusa inexactidão da parte de Barbosa, e de outros que têem indicado o anno de 1752 como o da entrada. Achando-se na villa de Mafra foi atacado de paralysia, molestia de que faleceu a 5 de Julho de 1773, sendo enterrado no claustro do convento da mesma villa, a esse tempo occupado pelos conegos regentes de Sancto Agostinho. Muito devem, no meu entender, as letras portuguezas a este laborioso e erudito escriptor, que no seu tempo prestou valiosissimos serviços, trabalhando fervorosa e incansavelmente para reformar o estylo vicioso, e o mau gosto, que dominavam até então, e de que elle proprio se não mostrára exemplo, nos escriptos que primeiro publicou. A sua conversão litteraria foi devida ao Verdadeiro Methodo de Verney, cuja leitura lhe fez conhecer o quanto andava arredado do bom caminho. «É verdade (diz um critico respeitavel) que elle, com outros mestres do seu tempo, estava com toda a sinceridade do seu coração convencido de que a escrupulosa observancia das regras classicas, que então se tractava de resuscitar, era por si só bastante para formar poetas, oradores, e escriptores de consumma do gosto em todos os ramos das bellas lettras, e que nas regras havia um condão capaz de supprir o proprio ingenho. Hoje para qualquer principiante é doutrina corrente, que as regras não criam o genio mas ao mesmo tempo bom é não esquecer, que com ellas se lhe pódem corrigir os erros, e embargar o passo a seus extravios.» Respeitemos pois agradecidos a memoria do illustre philologo, que tantas e tão diversas composições nos deixou, todas dictadas pelo nobre pensamento de ser util á sua patria, promovendo nella os bons estudos, e a educação litteraria da mocidade.”

Referência: 1709PG142
Local: M-15-A-17


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters