RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



LOUBÈRE, Simon de la. A NEW Historical Relation OF THE KINGDOM OF SIAM.

BY Monsieur DE LA LOUBERE, Envoy Extraordinary from the FRENCH KING, to the KING of SIAM, in the years 1687 and 1688. Wherein full and curious Account is given of the Chinese Way of Arithmetick, and Mathematic Learning. In Two TOMES. Illustrated with Sculptures. Done out of French, by A. P. Gen. R. S. S. LONDON, Printed F. L. for Tho. Horne at the Royal Exchange, Francis Saunders at the New Exchange, and Tho. Bennet at the Half-Moon in St. Pauls Church-yard. M DC XCIII. [1693]

Obra em 2 tomos encadernados juntos. In folio [de 32x18 cm] com vol-I de  [4], 1-a-143 vol- II de [4]-a-260 [aliás 256] pags.

Encadernação do século xx inteira de pele marroquin castanho com ferros a ouro nas esquadrias das pastas; e lombada com nervos e ferros rolados a ouro.

Folha de rosto impressa a duas cores. O segundo tomo apresenta folha de rosto própria na pag. 144.

Ilustrado com 11 gravuras em  extratexto, duas são mapas de página inteira, as restantes são plantas de cidades, recolhas de botânica, alfabetos orientais, etc. distribuidos pelas várias caixas das referidas lâminas. 

O exemplar apresenta muitos restauros profissionais dos trabalhos de traça que afectavam todo o interior.

Os 2 mapas de página inteira em extratexto são respectivamente: A «Mapp of the Kingdome of SIAM», entre as páginas 2/3; e «A Map of the Course the River MENAM from SIAM to the SEA», entre as páginas 8/9.

Decrevemos seguidamente o conteúdo das 9 lâminas em extratexto:

Lâmina nas pags. 14/15: com 2 mini mapas incluidos com outras gravuras: o de cidade capital do Sião, dita cidade do Sião, ou Ayuthaya, com os vários distritos, mostrando o bairro português, o bairro japonês, o bairro chinês, o bairro holandês, etc; e ainda um pequeno mapa de Bangkok com os baluartes ocidentais. E ainda nesta lâmina: bambus; o vaso das cartas do rei; e palmeiras. Lâmina nas pags. 24/25: com costumes ou trajos dos mandarins tailandêses; o pátio do palácio do rei; e uma casa tipica siamesa. Lâmina nas pags. 30/31: planta do palácio dio rei, estrutura de um templo, plataforma do templo; e remadores das barcas. Lâmina nas pags. 40/41: as barcas reais com 3 modelos e 1 plano de construção. Lâmina nas pags. 72/73: com imagens das moedas locais: tical, cauris, e coupão japonês; e a perspectiva da fachada da sala de audiências do rei. Lâmina nas pags. 112/113: com um templo siamês, uma partitura ocidental de uma canção siamesa, instrumentos musicais, e outra planta do palácio do rei. Lâmina nas pags. 170/171: com imagens de plantas e dos seus frutos: bananeira, jaqueira, durião, ananás, manga, e coco; e uma lista ou cartilha do abecedário tailandês. Lâmina nas pags. 176/177: continuação da cartilha do abecedário e escrita tailandesa e balinesa, cachimbo árabe-tailandês e vários ábacos chineses. Lâmina nas pags. 182/183: com panorama do Cabo da Boa Esperança, o mapa da Cidade do Cabo na ocupação holandesa; e os costumes dos habitantes do Cabo com uma gravura de uma familia hotentote.

Brunet (III, col. 778 ent. 28237) refere apenas a primeira edição francesa em gran papier. «Du Royaume du Siam. Paris. 1691, in 12º fig. Ce livre n’a aucun valeur que lorsqu’il est en Gr. Pap. Vend tele t rel. En m. r. 12 fr. La Vallière».

Esta obra foi publicada em edições de língua francesa com os seguintes títulos: Du Royaume de Siam e Description du royaume de Siam.

Trata-se da primeira edição inglesa desta obra que é a primeira que sistematiza e compendia a cultura tailandêsa, sendo segundo Wyat a melhor obra do seu tempo sobre esta tema. No entanto a sua importância  reside no facto de que não se trata unicamente de um livro de viagens e de um relato de usos e costumes, mas também de uma profunda reflexão sobre os conhecimentos das ciências orientais interpretadas pelos conhecimentos científicos ocidentais. Explicitamente o autor informa na sua nota ao leitor que pretende dar a conhecer o «Génio dos Siameses».

La Loubère, além de ter sido um nobre embaixador do Rei Luis XIV, enviado em 1687 à corte do Sião, era também um matemático, e com esta obra consagrou-se como membro da Academia das Ciências francesa. Publicou também “De la résolution des équations: ou de l"extraction de leurs racines”. O seu interesse pelo sistema de conhecimento matemático e linguístico oriental encontra-se visível nesta obra e nas suas ilustrações no capítulo referente aos conhecimentos matemáticos orientais página 239 a 247. 

A obra baseia-se em grande parte nas informações sobre a cultura tailandesa vinda das fontes europeias e portuguesas, e citando Fernão Mendes Pinto. Relativamente aos nomes Sião e Siamaneses o autor informa (pag. 6) que se trata de uma invenção dos portugueses no tempo das suas Descobertas, e que o povo em causa só se reconhece pelo nome de Thai ou Tailandeses. Relativamente á antiga capital - dita Judia / Ayudia /Ayutaia - também esta é uma corruptela portuguesa pois, segundo o autor, os siameses chamavam-lhe Si-yo-thi-ya. O mapa desta cidade encontra-se na gravura em extratexto entre as páginas 14 e 15, bem como um mapa de Bangkok, na altura uma vila, na qual os portugueses tinham um entreposto comercial fortificado.

 First English edition. "Universally regarded as the finest work on seventeenth-century Thailand" (Wyatt).

In folio [de 32x18 cm] com [4], 260 pags. Two volumes (tomes) bound in one, translated from the original French into English. Initial title page printed in red and black. Second volume with its own titte page in pag. 144. 

Ilustrated with 2 full-page maps and 9 full-page copper engravings.

Copy with a later 19th Century binding, and many professional repairs of wormholes.

This is the report of the envoy extraordinary from the King of France Louis XIV to the court of the King of Siam in 1687 to 1688. The detailed text describes the Siamese alphabet, chess, smoking, astronomy, magical squares, etc. besides providing a 3-page description of the Cape of Good Hope and its inhabitants, including two engraved views of Table Mountain, a plan for a Dutch factory at the Cape, and a Hottentot family.

The French diplomat Simon de La Loubère (1642-1729) was appointed as Louis XIV's envoy extraordinary to the court of Siam, and while he stayed in Siam for only three months he diligently and systemically asked questions, "probably stimulated by the Jesuit scientists who accompanied the mission to take more than a passing interest in Siamese cosmology, astronomy, and mathematics" (Lach & Van Kley).

Loubère compensated his short stay with a thorough study of earlier writers, referring to twenty-three European authors from Pinto [Fernão Mendes Pinto e. g. see page 112] to Gervaise in the first volume and collecting French translations of native works in the second. Besides presenting information on Siam itself, Loubère also incorporates information on India and China and their influence on Siam's past.

Simon de La Loubere, born on the 21 April 1642 In Toulouse and died on 26 March 1729 remains today a reference work on the culture and civilization of the only country in Southeast Asia that was never colonized by a European power. Whether it is the art of boxing or massage, the costumes and manners of the merchants or ladies of the court, the parasol, the puppets or the jacquier, nothing seems to have escaped him. He is the first Occidental to report the Pali, the language of Theravada Buddhism, of which he is also the first to expose the foundations without distorting them roughly. In this book, which includes an important section on mathematics,

The author also introduces for the first time in the French language the term "magic square". Simon de la Loubère led an embassy to Siam (modern Thailand) in 1687 (the "La Loubère-Céberet mission"). The embassy composed of five warships arrived in Bangkok in October 1687 and was received by Ok-khun Chamnan. La Loubère returned to France on board the Gaillard on 3 January 1688, accompanied by the Jesuit Guy Tachard, and a Siamese embassy led by Ok-khun Chamnan. Upon his return, La Loubère wrote a description of his travels, as had been requested by Louis XIV, published under the title Du Royaume de Siam: «It was by the orders, which I had the honours to receive from the King upon leaving for my voyage to Siam, that I observed in that country, as exactly as possible, all that appeared to be the most singular». La Loubère was elected member of the Académie Française (1693–1729), where he received Seat 16, following the 1691 publication of his book Du Royaume de Siam. La Loubère brought to France from his Siamese travels a very simple method for creating n-odd magic squares, known as the "Siamese method" or the "La Loubère method", which was initially brought from India La Loubère is also famous for making one of the earliest accounts of a parachute following his embassy to Siam. He reported in his 1691 book that a man would jump from a high place with two large umbrellas to entertain the king of Siam, landing into trees, rooftops, and sometimes rivers.

Brunet III, 28237, Cordier 723; Satow 58; Wing L-201.

Referência: 1712JC020
Local: miser

INEXISTENTE


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters