RUGENDAS. (Maurice) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



SEPULCRO. (Frei Manuel do) ROSA FRANCISCANA. TRATTADO DA PRODIGIOSA VIDA DA VIRGEM S. ROSA DE VITERBO.

FILHA PROFESSA DA VENERAVEL ORDEM Terceira da Penitencia de N. P. Seraphico S. FRANCISCO. D.D. AOS CHARISSIMOS IRMÃOS DA mesma Ven. Ordem Terceira da devota Congregação do Real Convento de S. Francisco de Lisboa; sob a direcção, & governo do Muito Religioso P. Fr. Domingos da Cruz, prègador, & filho da Provincia de Portugal dos Frades Menores da Regular Observancia; perpetuo Cõmissario, & Visitador da mesma Terceira Ordem, & Congregação. Author o M. R. P. M. Fr. Manoel do Sepvlchro, Lente jubilado, & Padre da Provincia de Portugal. EM LISBOA. Com licença. Na Officina de ANTONIO RODRIGVEZ D' ABREV. 1673.

In 8º de 19x13,7 cm. Com [xliv], 296 págs.

Encadernação da época inteira de pergaminho flexível, com título escrito à pena na lombada e conservando os atilhos.

Impressão nítida sobre papel de linho muito sonante, em caracteres redondos e alguns itálicos, adornada com cabeções, iniciais decoradas e florões de remate.

As folhas preliminares contêm dedicatória do autor aos Irmãos da Venerável Ordem Terceira, licenças da Ordem por Fr. António de São Tomás e Frei José Ximenes Samaniego, licenças do Santo Ofício por Fr. Jorge de Carvalho e Doutor Bento Pereira, do Desembargo do Paço por Manuel de Andrade, Prólogo, protesto do autor, índice dos capítulos e das adições. No fim apresenta um índice de assuntos.

Raríssima 1ª e única edição de uma obra-prima da prosa hagiográfica em Portugal, na qual o autor narra a vida de Santa Rosa de Viterbo, com a transcrição de bulas Papais e uma pormenorizada relação dos autores que escreveram sobre a Santa, terminando com um poema do autor em latim em louvor de Santa Rosa de Viterbo.

O autor revela um grande rigor na escolha de fontes e critica os escritores que inventam factos e circunstâncias sem ter em conta a verdade. Santa Rosa de Viterbo (Viterbo, Itália 1234 - 1252) foi uma Santa que despertou com muita precocidade para uma alta vivência mística, entrando para a Ordem Terceira de S. Francisco com 10 anos. Percorria as ruas da sua cidade Natal pregando a fé. Numa época caracterizada pelos conflitos entre o Papa e o Imperador, Santa Rosa de Viterbo defendeu o Papa pelo que foi desterrada de Viterbo até que o Imperador faleceu. São-lhe atribuídos milagres extraordinários, incluindo ressuscitar mortos e a profecia da data da morte do imperador.

Foi canonizada por aclamação popular com reconhecimento Papal. A sua festa celebra-se em 6 de Março e os Franciscanos e a cidade de Viterbo celebram com grande pompa a trasladação do seu corpo para o Mosteiro das Clarissas de São Damião em 4 de Setembro de 1258.

Análises científicas ao seu corpo, realizadas em 2010, demonstraram que morreu devido a uma doença raríssima (1 por milhão) só identificada em 1958, designada de Pentalogia de Cantrell ou síndroma torácico abdominal.

Frei Manuel do Sepulcro (Vila Nova de Portimão 1592 - Lisboa 1674) é clássico da literatura portuguesa e um dos maiores prosadores portugueses. É autor de "Refeição Espiritual", Lisboa 1669, que conheceu 2ª edição em 1742 e de poesias na sua maior parte em latim. Professou em 1613, foi Custódio da Província de Portugal e participou no Capítulo Geral da sua Ordem em 1651.

Sidónio Leite. Clássicos esquecidos. Frei Manuel do Cenáculo. Inocêncio VI, 105-106 e XVI, 313.

Referência: 1806PG038
Local: M-3-B-40


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters