RUGENDAS. (Maurice) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



JOSEFO. (Flávio) - Alfonso Fernández de Palencia. LOS SIETE LIBROS DE LA GUERRA JUDAYCA Y LOS DOS LIBROS CONTRA APPION GRAMMATICO ALEXANDRINO Y OTROS PHILOSOPHOS GRIEGOS.

PROLOGO DIRIGIDO ALA MUY ALTA Y MUY PODEROSA SEÑORA DONA YSABEL REYNA DE CASTILLA: Y LEON: DE ARAGON: Y DE CICILIA Y CETERA. POR EL SU HUMIL CRONISTA  ALFONSO DE PALENCIA EN LA TRADUCION DE LOS SIETE LIBROS DE LA GUERRA JUDAYCA: Y DE LOS DOS LIBROS CONTRA APPION  GRAMMATICO ALEXANDRINO ESCRIPTOS PRIMERO EM GRIEGO POR EL EXCELENTE HISTORIADOR JOSEPHO SACERDOTE DE LOS DE JHEREUSALEM. E TRANSLADADOS EN LATIN POR EL MUY ELOQUENTE PRESBYTERO RUFFINO PATRIARCHA DE AQUILEYA. E AGORA BUELTOS DE LATIN EN ROMANCE CASTELLANO POR EL MESMO CRONISTA.

Sevilha, 1491-1492. 27 de Março. Meinardus Ungut & Stanislaus Polonus.

De 29x21 cm. com [184] fólios. (a7, b-y8, z9).

Encadernação do século XX, assinada Menard, com lombada e cantos em pele, nervos e ferros a ouro, o corte das folhas dourado à cabeça.

Magnífica impressão incunabular sevilhana, impressa em letra gótica a duas colunas de 49 linhas, sem numeração, na qual se utilizaram duas cores nas colunas iníciais nos dois primeiros fólios (prólogo) e no fólio [160] início dos dois livros Contra Apion. Marca dos impressores no verso do último fólio. O texto dos sete livros da Guerra Judaica termina com um cólofon datado de 1491 e o texto dos dois livros Contra Apion apresenta um segundo cólofon datado de 1492, o que indica que a impressão se iniciou em 1491 e terminou a 27 de Março de 1492.  

Exemplar completo. Como todos os exemplares conhecidos  não apresenta os dois fólios em branco no início e no fim. Com ex-libris de Joaquin de Arteaga-Lazcano, XVII duque del Infantado. Apresenta algumas anotações marginais coevas e alguns fólios com leves restauros, pequenas manchas e leves vestígios antigos de xilófagos.

Trata-se da raríssima primeira edição em língua castelhana de uma obra clássica da cultura ocidental, verdadeira fonte histórica da humanidade, escrita originalmente em aramaico ou hebraico, traduzida em grego e depois vertida para latim.

O autor foi um famoso historiador romano de origem judaica, sendo esta a primeira edição da tradução castelhana, da autoria de Alonso de Palencia, da obra de Flávio Josefo.

Esta foi uma das primeiras obras impressas em Sevilha, tendo sido simbolica e politicamente dedicada pelo tradutor à rainha de Castela, Isabel a Católica.

No mesmo ano e durante o reinado dos Reis Católicos tiveram lugar diversos eventos que mudaram a Península Ibérica e o mundo: o descobrimento da América por Cristovão Colombo, ao serviço dos reis Católicos; a expulsão dos judeus de Espanha pelos reis Católicos; e a tomada aos árabes do reino de Granada , após dez anos de guerras.

Esta raríssima edição contém duas obras de Flávio Josefo:

- As Guerras Judaicas, em sete livros, descrevem pormenorizadamente a 1ª Guerra Judaica, incluindo um resumo da história de Israel, desde a Revolta dos Macabeus, em 167 AC até à conquista e destruição de Jerusalém pelos Romanos, assim como a conquista das últimas fortalezas israelitas como Massada, no ano de 71 DC, factos a que o autor assistiu quando já tinha obtido a cidadania romana.

- A obra Contra Appion foi escrita no ano 95 DC para refutar a posição de anti-semitismo do escritor Apion, egípcio helenizado de Alexandria, professor de grego, famoso como mestre em Homero e autor de uma obra sobre a história do Egipto. Nesta obra, Flávio Josefo denuncia a falsidade das ideias difundidas em Roma por Apion.

Nas palavras de Jacob Guinsburg, Contra Apion é “uma de suas melhores realizações literárias. Escrita com grande veemência, é uma peça de defesa apaixonada, mas autêntica. (...) contém, na segunda parte, um esforço compreensivo das concepções de vida e dos costumes religiosos e legais dos judeus, que, colocados sob a égide da legislação revelada de Moisés e da polis teocrática inspirada diretamente nos Mandamentos de Deus, encontraram na sua Torá as noções que são também as dos mais sábios de entre os gregos, com a vantagem de terem sido convertidas em prática preceitual e religiosa, argumenta Flávio Josefo”.   

Tito Flávio Josefo (Jerusalém 37 - 100) judeu que, depois de ter sido capturado pelos Romanos, obteve a cidadania romana e passou a servir os imperadores Vespasiano e Tito, destacando-se como historiador. Foi autor da obras: Guerras Judaicas (em sete livros), escrita cerca do ano de 75 DC; Antiguidades Judaicas, (em 20 livros); Contra Apion; Sobre a Antiguidade do Povo Judeu; e Autobiografia. 

Flávio Josefo foi um apologista da cultura judaica e da sua compatibilidade com o pensamento greco-romano. A sua obra é uma fonte muito importante para o estudo da história, da cultura e da religião judaicas, apresentando um grande número de informações sobre personagens históricas, grupos sociais, costumes e sobre a geografia da Palestina.   

O tradutor, Alfonso Fernández de Palencia (Palencia (?) 1423 - Sevilha (depois de) 1492) judeu, convertido ao catolicismo, foi um notável intelectual do primeiro humanismo espanhol, sendo autor de vasta obra, como historiador, pedagogo, geógrafo, lexicógrafo e tradutor. Exerceu grande influência no casamento e subida ao trono dos reis Fernando e Isabel, tendo desempenhado missões diplomáticas e políticas ao serviço dos soberanos.

Depois da sua educação inicial em círculos de judeus convertidos, foi discípulo do humanista Alfonso de Cartagena, Bispo de Burgos, de Basilio Besarion e Jorge de Trebezonda em Itália, onde viveu até 1453. Em 1456 foi nomeado Cronista Real e Secretário de Cartas Latinas do Rei Henrique IV de Castela.

Da sua vasta obra destacam-se as Décadas, escritas em latim ao estilo de Tito Lívio, com a pormenorizada narração da história de Espanha desde o fim do reinado de João II de Castela até 1481; o primeiro dicionário de latim e espanhol; as célebres traduções das Vidas Paralelas de Plutarco e dos Sete livros da Guerras Judaicas de Flávio Josefo.

 JOSEPHUS. (Flavius) - Alfonso Fernández de Palencia.

THE SEVEN BOOKS OF THE JEWISH WARS AND THE TWO BOOKS AGAINST APION, GRAMMARIAN OF ALEXANDRIA, AND OTHER GREEK PHILOSOPHERS.

Prologue directed to Her Highness Queen Isabella of Castile [...]. by her humble chronicler in the translation of the seven books of the Jewish Wars and the two books Against Apion [...] first written  in Greek by the excelent historien Josephus [...] and then translated into Latin by the highly eloquent priest  Ruffino de Aquileya. and now from Latin into Castilian by this chronicler.

Sevilha, 1491-1492. 27 de Março. Meinardus Ungut & Stanislaus Polonus.

Dim.: 29x21 cm with [184] folios. (a7, b-y8, z9).

Binding: 20th century half binding, signed Menard. Raised bands and gilt tools on spine. Gilt top edges.

Magnificent Seville incunable, printed in gothic font in two columns of 49 lines each, unnumbered. Two colours were used in the initial columns of the first two folios (prologue) and on folio [160] at the beginning of the two books Against Apion. Printer’s device in the back of the last folio.

The text of the seven books of the Jewish Wars ends with a colophon dated 1491, and the text of the two books Against Apion ends with a second colophon dated 1492. This shows that the printing started in 1491 and ended on March 27th, 1492.

Complete copy. It does not have the two blank folios at the beginning and at the end, as usual. It has an ex-libris of Joaquin de Arteaga-Lazcano, XVII Duque del Infantado. Presents some contemporary marginal notes, and some folios with slight restoration, small spots and small old wormholes.

This is a very rare first edition in Castilian of this classic work of Western culture, a true source for the history of mankind, originally written in Aramaic or Hebrew, then translated into Greek, and from Greek into Latin.

The author, Flavius Josephus, was a famous Roman historian, of Jewish origin. This first translation into Castilian was made by Alonso de Palencia, who was the chronicler of the queen of Castile, Isabella the Catholic, (to whom he dedicated this translation).

On the same year, and during the reign of the Catholic Monarchs, several events took place that changed the Iberian Peninsula and the world: Christopher Columbus arrived to the Americas; the Jewish were expelled from Spain; and Granada was conquered to the Moors after a 10 year war.

The two works of Flavius Josephus included in this incunable are:

- The Jewish Wars, in seven books, detail the first Jewish-Roman war, including a summary of the History of Israel, since the Maccabean Revolt in 167 BC, to the conquest and destruction of Jerusalem by the Romans, as well as the conquest of the last Judean fortresses like Masada in the year of 71 CE. These last facts were experienced by the author who, at that time, had already obtained the Roman citizenship.

- The work Against Apion was written in the year 95 CE to refute the anti-Semite position of the writer Apion, a Hellenized Egyptian from Alexandria, Greek professor, famous as master in Homer, and author of a work about the history of Egypt. Flavius Josephus exposes how deceitful were the ideas Apion was spreading in Rome.

In the words of Jacob Guinsburg, Against Apion is “one of his best literary achievements. Written with great conviction, it is a piece of passionate, yet authentic, defence. (...) contains, in the second part, a comprehensive effort of the conceptions of life and of the religious and legal traditions of the Jews, who, placed under the legislation revealed by Moses and the theocratic polis directly inspired in the commandments of God, found in their Torah the concepts that are also those of the most sage among the Greeks, with the added benefit of having been converted into procedures and religious practices, argues Flavius Josephus”.   

Tito Flavius Josephus (Jerusalem, 37 - 100), was born Jewish and, after having been captured by the Romans, got the Roman citizenship, and served under the emperors Vespasian and Titus, standing out as a historian. He is the author of the following works: Jewish Wars (in seven books), written around 75 CE; Jewish Antiquities (in 20 books); Against Apion; On the Antiquity of the Jewish People; and Autobiography

Flavius Josephus advocated the Jewish culture and its compliance with the Graeco-Roman thought. His work is a very important source for the study of Jewish history, culture, and religion, including extensive information on historical figures, social groups, traditions, and the geography of Palestine.   

The translator, Alfonso Fernández de Palencia (Palencia (?), 1423 – Seville, (after) 1492) a Jewish, later converted to the Catholicism, was a remarkable intellectual of the first Spanish humanism. He was author of a large collection of works as historian, educator, geographer, lexicographer, and translator. He exercised great influence in the marriage and crowning of the monarchs Fernando and Isabella, having carried out diplomatic and political missions for the monarchs.

After his initial education within groups of Jewish converts, was a disciple of the humanist Alfonso de Cartagena, Bishop of Burgos; Basilios Bessarion; and of George of Trebizond in Italy, where he lived until 1453. In 1456 was nominated Royal Chronicler and Secretary of Latin Letters of King Henry the IV of Castile.

From his vast work, we highlight the Decades, written in Latin and inspired in the style of Livy, detailling the history of Spain from the reign of king John II of Castile until 1481; also the first dictionary of Latin-Spanish; the famous translations of Plutarch’s Parallel Lives; and the seven books of the Jewish Wars by Flavius Josephus.

Referências

Vid. Durán (1993:29, n.9).

Brunet III, col. 572: Précieux par sa rarité. Un livre, sans doute plus précieux encore et non moins rare, c'est la version de cette histoire en langue catalane ou limousine, imprimée à Barcelone par Nic. Spindeler, em 1482.

José Feliciano de Castilho Barreto e Noronha: in Relatoria ácerca da Bibliotheca Nacional, e mais[...] Volume 2, publicado Por... "Primeira edição, preciosa pela sua raridade, sen cyphras nem reclamos: com o titulo dos livros imp. com tincta encarnada: é dedicada á rainha Isabel, de Castella, e da mesma obra possuem os hispanhoes uma versão em lingua catalan ou limosina, imp. en Barcelona por Nicolo Spindeler em 1484, a qual não é só raríssima, mas também pouco conhecida". 

Hain, 9461. Haebler B. I., 344. Goff, J 491. Palau, 125051. Garcia Carviotto, CGIBE. 3323. BNM Lazaro ex. (inc.). Sul Mendes, CIBNP. 737. ex. (inc.)

Exemplares registados em Bibliotecas Publicas:

BNM I-152, I-1772, I-189.IMP. Sevilla: Meynardo Ungut y Stanislao Polono, 1492 LOC.: BNM I/ 158, I-235 con anotaciones e índice manuscrito, I/445, I/1140, I/1327, I/1668, I/2298. Cáceres: Pública; Escorial: Monasterio; Lisboa: Nacional; Nueva York: Hispanic Society; San Marino: Huntington; Valencia: Municipal; Zaragoza: Universitaria I-186.

Bibliografia não consultada:Vid. Paz y Melia (1973:xxxv); Escudero, núm. 28; Vindel (ATE, V:118-122); Simón Díaz 6031; Méndez, núm. 35; García Rojo 1092; Faulhaber (1984:2049).

Referência: 1905CS001
Local: M-11-A-42


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters