RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



KRUS ABECASSIS. (Carlos), Fernando Monjardino, e Ricardo Teixeira Duarte. RIO LIS - RESTABELECIMENTO DE COMUNICAÇÕES, PROJECTO DE REGULARIZAÇÃO E DEFESA DOS CAMPOS MARGINAIS.

Por Engenheiro Civil do IST...  Ministério das Obras Públicas Transportes e Comunicações. Lisboa. 1942-1943.

4 volumes de 33x23 cm. Com 247, 224, 206 fólios e 58 pranchas desdobráveis em ozalide.

Encadernações da época em tela (dita pele diabo) com rótulos com os títulos nas lombadas.

Profusamente ilustrado com planos de arquitectura e de engenharia nos 3 volumes de texto (cáculos) e descrevendo as obras, cargas, pesos próprios, sobrecargas, cargas permanentes uniformes e concentradas, cargas totais, cálculos das resistências, etc. No final um Volume de Desenhos, unicamente com folhas de ozalide desdobráveis. 

Conjunto constituído pelos 4 últimos volumes de um total de 16.  

Volume  XIII. TEXTO. RIO LIS - RESTABELECIMENTO DE COMUNICAÇÕES - PONTES - M. O. P. C. [Ministério das Obras Públicas Transportes e Comunicações]. Lisboa. 1943.

Estabelecimento de Comunicações: Pontes e Passadiços de Seventia Agricola: Ponte da Bajanca, e Ponte da Rotura. 

Volume XIV. TEXTO. RIO LIS -RESTABELECIMENTO DE COMUNICAÇÕES - PASSADIÇOS - M. O. P. C. [Ministério das Obras Públicas Transportes e Comunicações]. Lisboa. 1943.

Passadiço-tipo para o troço Nº2. Vigas Principais. Infraestrutura.

Volume XV. TEXTO. RIO LIS -RESTABELECIMENTO DE COMUNICAÇÕES - PASSADIÇOS -  M. O. P. C. [Ministério das Obras Públicas Transportes e Comunicações]. Lisboa. 1943.

Passadiço-tipo para o troço Nº 5. Vigas Principais. Infraestrutura. Passadiço-tipo para o troço Nº 6. Vigas Principais. Infraestrutura. Passadiço-tipo para o troço Nº 7. Vigas Principais. Infraestrutura. Anexo: Relatório das sondagens geológicas. Ministério das Obras Públicas Transportes e Comunicações]. Lisboa. 1942-1943.

Volume XVI. DESENHOS - RIO LIS - RESTABELECIMENTO DE COMUNICAÇÕES  - M. O. P. C. [Ministério das Obras Públicas Transportes e Comunicações]. Lisboa. 1943.

Volume de Desenhos, unicamente com folhas de ozalide com os projectos. 

Segundo as referências das fontes estatais e camarárias: «O Projecto, apresentado em 17 de Dezembro de 1942 é composto por 16 volumes e 2 anexos, assim discriminados:

Volume I – Sistematização Fluvial – Texto; − Volume II – Sistematização Fluvial – Gráficos de estudo; − Volume III – Sistematização Fluvial – Desenhos; − Volume IV – Estuário e foz – Texto (da autoria da Secção de Estudos de Hidráulica Marítima); − Volume V – Estuário e foz – Desenhos (da autoria da Secção de Estudos de Hidráulica Marítima); − Volume VI – Perfis transversais; − Volume VII – Enxugo e rega - Texto;  − Volume VIII – Enxugo e rega - Desenhos; − Volume IX – Estudo agronómico – Economia da obra; − Volume X – Plantas gerais; − Volume XI – Medições; − Volume XII – Preços compostos - Orçamentos; − Volume XIII – Restabelecimento de comunicações – 1 (da autoria dos Eng.º Carlos Krus Abecasis e Fernando Monjardino); − Volume XIV – Restabelecimento de comunicações – 2 (da autoria dos Eng.º Carlos Krus Abecasis e Fernando Monjardino); − Volume XV – Restabelecimento de comunicações – 3 (da autoria dos Eng.º Carlos Krus Abecasis e Fernando Monjardino); − Volume XVI – Restabelecimento de comunicações – 4 (da autoria dos Eng.º Carlos Krus Abecasis e Fernando Monjardino); − Anexo 1 – Resumo do plano geral; − Anexo 2 – Relatório hidrológico. Coordenado pelo Eng.º Alberto Abecasis Manzanares.

«A obra de regularização fluvial consistiu essencialmente no aprofundamento, alargamento e ligeira rectificação do leito do rio Lis, numa extensão de cerca de 30 km, desde a cidade de Leiria até à foz, permitindo o escoamento da máxima cheia prevista, e na construção de diques marginais suficientemente elevados, de forma a ficarem com o seu coroamento acima do nível de águas altas extraordinárias. São também melhoradas as confluências. Paralelamente à regularização fluvial é efectuada, por outros serviços do Estado, nomeadamente a Direcção Geral dos Serviços Florestais e Aquícolas, a correcção torrencial dos cursos de água que transportavam maiores quantidades de areias para o rio. A rede de drenagem é constituída por valas de drenagem (primárias, secundárias, terciárias e quaternárias), colectores de encosta, valas de cintura e três estações elevatórias. A rede de rega implantada originalmente é de superfície e baixa pressão consistindo numa rede primária de canais a céu aberto e redes secundárias enterradas [etc]»

«Relativamente ao restabelecimento de comunicações, a intervenção incidiu fundamentalmente na melhoria das acessibilidades e execução de diversas passagens hidráulicas no rio Lis, para criar condições de circulação entre as povoações das duas margens e de acesso aos terrenos agrícolas. No decorrer dos anos de 1942 e 1943 procedeu-se à execução, por administração directa, de obras preliminares, preparatórias e de ensaio, com fim de comprovar a eficácia dos métodos propostos no Projecto e preparar a execução das obras definitivas. Estes ensaios incidiram especialmente sobre as possibilidades da manutenção do leito do rio Lis desobstruído pela concentração das águas. uário do Lis, com o fim de concentrar as águas de cheia e provocar a colmatagem do espaço por eles limitado».

Esta obra pesa mais de 9 Kg. e está sujeita a cobrança de portes adicionais. / This work weighs more than 9 Kg. and is subject to extra shipping charges.

Referência: 3003LC724
Local: I-66-A-1


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express

SERVIÇOS

Avaliações e Compra


Organização de Arquivos


Pesquisa Bibliográfica


A SUA ENCOMENDA

Ver

Encomendar


Valor: €0

Temáticas


Índice Geral / All Categories

Livros Raros / Rare Books

free counters