RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



FOLQUE. (Filipe) CARTA TOPOGRAPHICA DA CIDADE DE LISBOA E SEUS ARREDORES.

[Levantamento cartográfico]: referido a 30 de Julho de 1876. Redigida e gravada sob a direcção do General Filippe Folque e do contra-almirante F. M. Pereira da Silva. Direcção Geral dos Trabalhos Geodésicos. Grav[adores] Maia Mesquita Junior e Mesquita Sénior. Lisboa: Direcção Geral dos Trabalhos Geodésicos, 1878 [no canto superior esquerdo da mancha].

1 planta de 2,30 m de largura x 83 cm de altura.

Litografia em 2 folhas a preto e branco, curvas de nível a sépia; 80 x 110cm, em folha de 83,5 x 116cm cada folha.

Escala 1:5000.

“Abrange desde a Torre de Belém até ao Beato, e para o Norte chega até à estrada da antiga circunvalação. Foi gravada por «Maia, Mesquita Júnior, e Mesquita Sénior». Uma legenda constituída por 505 rúbricas numeradas, dispostas em 9 colunas, com alturas variáveis, está colocada no canto inferior direito da mancha" [In catálogo "Cartografia Portuguesa do Marquês de Pombal a Filipe Folque' - O Património Histórico Cartográfico do Instituto Geográfico e Cadastral. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1982, nº 72 e nº 73].

Em 1856, D. Maria II ordena que se faça o levantamento da Carta Topográfica de Lisboa. Depois de décadas de instabilidade política, Fontes Pereira de Melo inicia a modernização do reino, durante o período que ficou conhecido como o “Fontismo”. Para tal era fundamental um plano nacional de levantamento cartográfico e assim decidir quais as obras públicas necessárias. Nesse sentido, foi nomeado o General Felipe Folque (1800-1874) encarregado de executar a Carta Corográfica de Portugal à escala de 1:100 000 e a Carta Topográfica da Cidade de Lisboa à grande escala de 1:5000 pela quantia de trezentos mil reis. Devido ao complexo trabalho necessário para a execução da tarefa, Filipe Folque decidiu abrir um concurso público ao qual concorreram três empresas particulares. A tarefa foi adjudicada aos topógrafos Carlos Pezerat, Francisco Goullard e César Goullard. O trabalho durou três anos e foi concluído com grande eficácia, o que notabilizou a qualidade e o prestígio dos trabalhos geográficos portugueses no século XIX.

“É, sem dúvida, obra de muito valor, não só pelo que representa quanto à cuidadosa e trabalhosa triangulação, levantamento e desenho das suas folhas bases, que permitiu a publicação da Carta Topográfica de Lisboa na escala de 1:5000, a primeira publicada com curvas de nível e cuja matriz em pedra pode servir de modelo, pela pureza do traço, delineamento das ruas, configuração das edificações e ondulado das águas, como também pelo que em si encerra de valioso documentário, mostrando a topografia de Lisboa na época imediatamente anterior à das transformações por que passou a cidade no seu primeiro plano de grande urbanização. A Carta Topográfica de Lisboa, na escala de 1/5000, como Litografia daquele tempo pode ser considerada como uma das mais célebres, patenteando mais uma vez o merecimento dos artistas portugueses.” In Luiz de Pina Manique, Subsídios para a História da Cartografia Portuguesa.

Carta topográfica de Lisboa em 1856, levantada por Filipe Folque, com definição minuciosa da área administrativa da cidade e das zonas de maior densidade urbana. Apresenta legenda explicativa em rodapé. O desenvolvimento da capital entre 1850 e 1870 foi mais orgânico do que planeado, não obstante o Município tivesse intenção de programar uma Lisboa moderna. Neste contexto, a Direcção dos Trabalhos Geodésicos, Cadastrais e Topográficos do Reino foi encarregue de proceder a um levantamento exacto da cidade de Lisboa.

Os trabalhos, que decorreram sobre a orientação de Filipe Folque, foram adjudicados a C. Pezarat, F. Goullard e C. Goullard, deles resultando 65 folhas de levantamentos topográficos efectuados entre 1856 e 1858. A cidade representada nesta carta não difere grandemente da que foi levantada sob a direcção de Duarte José Fava em 1807, verificando-se apenas algumas alterações pontuais ao nível da sua fisionomia (zonas ajardinadas, melhoramentos viários) e dos seus limites, por se pressupor um alargamento até ao Poço do Bispo.

Filipe Folque (1800-1874) General. Tenente da Armada. Doutorou-se na Universidade de Coimbra em Matemáticas, no ano de 1826. Foi ajudante do Director das obras do Mondego e do Observatório da Universidade. Em 1833 assentou praça na Armada, tendo transitado para o Exército, como tenente de Engenheiros. Em 1836 foi provido num lugar de lente da Academia de Marinha. Neste ano criou o curso de engenheiro hidrógrafo, que viria a ter importante influência na divulgação e no aprofundamento, entre os oficiais da Marinha, dos conhecimentos de astronomia, geodesia, topografia, hidrografia, cartografia e outras actividades afins.

Em 1840, é nomeado lente de astronomia e geodesia da Escola Politécnica de Lisboa. Três anos mais tarde, juntamente com o seu pai, foi nomeado para a realização de uma carta topográfica do país, à escala de 1:100 000.

Em 1851, assumiu a direcção de um novo departamento hidrográfico, que esteve durante muito tempo na dependência da Direcção Geral de Trabalhos Geodésicos. Sócio da Academia Real das Ciências e professor de Matemática das filhas de D. Maria II, deixou notáveis memórias sobre os trabalhos geodésicos em Portugal.

Carta topographica da cidade de Lisboa e seus arredores [Material cartográfico]: referido a 30 de Julho de 1876 / Direcção Geral dos Trabalhos Geodésicos; redigida e gravada sob a direcção do General Filippe Folque e do contra-almirante F. M. Pereira da Silva; grav. Maia Mesquita Junior e Mesquita Sénior AUTOR(ES): Portugal. Direcção Geral dos Trabalhos Geodésicos; Folque, Filipe de Sousa, 1800-1874, dir.; Silva, F.M. Pereira da, dir.; Mesquita Senior, ca 18- -, grav.; Mesquita Junior, Maia, grav. ESCALA: Escala 1:5000 PUBLICAÇÃO: Lisboa : Direcção Geral dos Trabalhos Geodésicos, 1878 DESCR. FÍSICA: 1 planta: p&b, curvas de nível a laranja; 80x110 cm, em folha de 83,5 x 116cm cada folha.

 Topographic Map of the City of Lisbon and its Outskirts

 One blueprint measuring: Width: 2.30 m; Height: 83 cm.

Lithography (80 x 110cm) in two black and white leaves, level curves in sepia. Each leaf measures 83.5 x 116cm.

Scale: 1:5000.

“Covers the area from the Tower of Belém to Beato, and to the north up to the old ring road. It was engraved by «Maia, Mesquita Júnior and Mesquita Sénior». The caption includes 505 numbered entries, in nine columns of different heights, placed at the bottom right corner of the layout" [In catalogue "Cartografia Portuguesa do Marquês de Pombal a Filipe Folque' - O Património Histórico Cartográfico do Instituto Geográfico e Cadastral. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisbon, 1982, nº 72 e nº 73].

In 1856, Queen D. Maria II orders the survey for the Topographic Map of Lisbon. After decades of political instability, Fontes Pereira de Melo starts to modernize the kingdom during the period that became known as the “Fontismo”. To do so it was important a national plan for the cartographic survey in order to decide which public works were needed. Thus General General Felipe Folque (1800-1874) was nominated to carry out the Chorographic map of Portugal on a scale of 1:100 000, and the Topographic map of Lisbon on the larger scale of 1:5000. Due to the complex work needed to carry out that task, Filipe Folque decided to open a public tender for which three private companies bid. The task was awarded to the topographers Carlos Pezerat, Francisco Goullard, and César Goullard. The work took three years to be effectively completed and brought fame to the quality and prestige of the Portuguese geographic works of the 19th century.

The city represented in this map is not much different from the one of 1807 by Duarte José Fava, with just some minor changes to its characteristics (like gardens and road improvements) and to its limits.

“It is, no doubt, a very valuable work for what it represents concerning the thorough and arduous triangulation, survey, and drawing of the base leaves, that allowed the edition of the Topographic Map of Lisbon on the scale 1:5000, the first published with level curves, the stone matrix being able to work as a model due to the purity of the lines, the outline of the streets, configuration of the buildings and the waves of the waters. But not only that, it is a precious document showing the topography of Lisbon at the time prior to the transformation of the city under its first large urbanization program. The Topographic Map of Lisbon, on the scale of 1/5000, as lithography of that time may be considered one of the most famous, showing once again the merit of Portuguese artists.” In Luiz de Pina Manique, Subsídios para a História da Cartografia Portuguesa.

Topographic map of Lisbon dated 1856, surveyed by Filipe Folque, with a detailed definition of the administrative area of the city and the areas of high urban density. Captions at the bottom. The development of the capital between 1850 and 1870 was more organic than planned, although the municipality intended to program a modern Lisbon. Within this frame, the Department of Geodesic, Cadastral and Topographic Works of the Kingdom was assigned the thorough survey of the city of Lisbon.

Filipe Folque (1800-1874), General and Navy Lieutenant, got his Mathematics degree from the University of Coimbra in 1826. He was Assistant of the Director of the works in Mondego and of the Observatory of the University. In 1833 he joined the navy and later transferred to the army as lieutenant of the Engineers. In 1836 he was a teacher at the Navy Academy. In that same year he created the course of Hydrographical Engineering which came to be very important for improving the knowledge of the Navy officials on astronomy, surveying, topography, hydrography, cartography, and related activities.

In 1840 is nominated astronomy and surveying teacher at the Polytechnic School of Lisbon. Three years later, together with his father, is nominated to carry out the topographic map of the country on a scale of 1:100 000.

In 1851 he took the lead of a new hydrographical department that remained for several years under the General Direction of Surveying Works. Folque was also a member of the Royal Academy of Sciences and math teacher of the daughters of Queen D. Maria II, leaving remarkable memories about the surveying works in Portugal.

 

Referência: 1111CS004
Local: Pedro


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters