RUGENDAS, Maurice. HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

 
 

 
   

Clique nas imagens para aumentar.



FIELDING, Henry. THE JOURNAL OF A VOYAGE TO LISBON

BY HENRY FIELDING WITH INTRODUCTION AND NOTES BY AUSTIN DOBSON. [Vinheta com leão e âncora]. LONDON. PRINTED AND ISSUED BY CHARLES WHITTINGHAM & CO. AT THE CHISWICK PRESS. MDCCCXCII [1892].

In 8º (de 19x13 cm) com xxi, [3], 277, [1] pags.

Encadernação da época com lombada (do editor?) com lombada em pergaminho e pastas em papel cartonado natural.

Ilustrado com uma gravura (aberta por James Basire) em anterrosto contendo um retrato de perfil do autor Henry Fielding, atribuído a Hogarth que a desenhou de um esboço da época, porém muito discutivelmente original, tal como se pode ler em epígrafe que a antecede na folha de guarda.

Exemplar nº 241/500 com um ex-libris armoriado de Robert Walker; e de uma tiragem geral justificada: «This edition is limited to Five Hundred copies, viz; 25 in Japanese Vellum, numbered 1 to 25. 475 on Handmade paper, numbered 26 to 500. This is No. 241».

A vinheta do impressor desta edição de 1892 (com o leão e a ancora) encontra-se como marca-de-àgua no papel da obra.

Obra sobre a vida e os costumes da sociedade portuguesa antes do Terramoto de 1755.

O autor, Henry Fielding, partiu com sua esposa para Lisboa, em Junho de 1754, na esperança de melhorar sua saúde num clima mais quente. Este diário de sua viagem é uma espécie de 'romance sem um enredo' (Cross), refletindo os seus vários estados de espírito mutantes. O prefácio da obra que Fielding escreveu é considerado um dos melhores textos dos livros de viagens. O autor morreu em Lisboa dois meses depois de sua chegada.

Existiram em 1755 duas edições diferentes. A procura causada pelo interesse no Terremoto de Lisboa, em Novembro seguinte, levou a que cópias não editadas fossem (aparentemente) colocadas no mercado.

A folha de rosto da edição original de 1755 com a marca da impressor encontra-se reproduzida após a nota do editor da edição de 1892.

 Henry Fielding left with his wife for Lisbon in June of 1754, hoping to improve his health in a warmer climate. This daily journal of his voyage is a kind of 'novel without a plot' (Cross), reflecting his shifting moods. The preface, probably the last words that Fielding wrote for publication, is a delightful essay on the art of travel writing. Fielding died in Lisbon two months after his arrival. Two different editions were printed by William Strahan for Andrew Millar in January 1755, after Henry Fielding's death in Portugal. The demand caused by interest in the Lisbon earthquake in November led to unedited copies (apparently) put on the market.

Frontispiece is William Hogarth portrait sketch of Fielding, engraved by James Basire.

Titlepage with woodcut printer's mark of lion and anchor, with this design also used as a watermark in the paper.

Owner's bookplate with the heraldic crest of Robert Walker.

Rothschild 857. 

Referência: 1704JC002
Local: M-7-B-8


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters